Páginas

ATENÇÃO

- Blog: Cronicas e Contos de RPG - Eduardo Teixeira (textos protegidos, sua reprodução é proibida sem a autorização prévia do autor).

SOBRE A LEITURA: VAMOS LER, POIS LER É APRENDER.


A importância da leitura vem a cada dia ganhando força em seus diversos segmentos, pois é um dos requisitos básicos na aprendizagem do indivíduo. O ato de ler é muito importante, pois a leitura vem aos poucos contribuir para a formação de leitores capazes de reconhecer as sutilezas, as particularidades, os sentidos a extensão e a profundidade de cada texto lido.

Quem lê muito escreve bem

Não há como negar que ler contribui para a desenvoltura na escrita, pois vamos incorporando bons modelos de estruturação das ideias, ampliando repertórios, conhecendo novas palavras. Porém, é comum encontrarmos pessoas que leem muito, mas encontram dificuldades para escrever. Pode ser que isso ocorra pela qualidade da leitura. A leitura para a apreensão de conteúdos é básica; no entanto, se também prestarmos atenção na forma como os textos são compostos, podemos usufruir de todo o conhecimento a respeito da linguagem que uma leitura efetiva pode proporcionar e, assim, vamos nos tornando capazes de compor bons textos.

Vale a dica: Estar atento aos modos particulares de escrever dos diferentes autores, em especial daqueles que apreciamos, pode ser um prazer a mais na leitura. Pensar em como você próprio escreveria sobre o tema (e aventurar-se a escrever!), valendo-se do conhecimento dessas inúmeras possibilidades, ajuda-o no aperfeiçoamento de sua própria escrita.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 26 de junho de 2010

SISTEMA DE RPG QUE EU FIZ PRA TON - RPG SCONDE LIFE

Sistema de RP - Ton RPG Brasil Evolution


RPG vem de RolePlaying Game, e significa "Jogo de Interpretação de Personagem". Jogar RPG é como fazer de conta: você finge ser outra pessoa, age como ela agiria e pensa como ela pensaria. É uma espécie de teatro, mas sem nenhum roteiro para seguir. A história apenas vai acontecendo.

RPG é um jogo de faz-de-conta, um jogo de contar histórias. A aventura rola enquanto os jogadores tomam decisões, vivendo seus papéis em mundos de imaginação. Sentados à volta de uma mesa, anotando em papéis e jogando dados, eles experimentam aventuras épicas, viagens emocionantes e perigos apavorantes!


AVISO: O RP da ilha Ton RPG Brasil Evolution será on em tempo integral, menos nas bases das raças e na arena da ilha e nas horas de eventos DCS aonde usamos a cidade.


1) REGRAS GERAIS

* Não haverá transição de RP para DCS em nenhum momento. O sistema de RP é mantido em RP, apenas adquirimos o LVL. Bom se tiver em RP terá que usar as magias de RP e e idéias de estratégia para encarar as aventuras, em momento algum pode sacar uma arma e lutar DCS. RP é RP e DCS é DCS.

* Os dados somaram de 1 a 30 Pontos de vida.

* Calculo do RP, será um calculo de: dado+lvl+bônus. Dado (numero que tirar no dado, varia de 1 ao 30) + lvl (lvl do DCS) + Bônus (bônus da ilha, por exemplo; Um delegado terá grande bônus).

* Se o personagem morrer em RP ficará 3 dias fora de qualquer aventura e eventos de RP da ilha, depois deste prazo volta normalmente. Não terá perda de BG, cada raça tem que fazer uma maneira para que seu personagem volte, a muitos exemplos e imaginaçoes coerentes pra isso. Podem tirar as duvidas com senior.

* Haverá bônus na ilha, armas de RP, escudos de RP e outros. E jogadores com cargos terão bônus.



* O sistema de RP de Ton é baseado no RPG de mesa, então a pessoa não faz a ação e já acerta (Na mesa joga uma magia de ataque no seu turno ai é a vez do adversário ele rola um dado pra vê ser consegue escapar ou ele joga uma magia pra se defender ou emesmo se for ataca ele rola o dado de defesa pra ver quanto você tira de dano e etc...). Precisa esperar se o atacado não conseguiu de alguma maneira escapar do ataque em seu turno. Tudo com o dado da ilha é claro.

* Devemos todos portar com respeito a cada participante do RP. Não sera tolerado brigas, xingamentos, confusões em off.

* DCS on = RP on / DCS off = RP off


2) O BG

* A todo player é requerida a confecção de sua ficha e BG, nela estão contidos todas as características do personagem (qualidades, defeitos, habilidades, antecedentes etc) e sua história (porque você é o que é, como era, o que aconteceu etc). É obrigado a ter BG para fazer o RP.

3) COMISSÃO DE RP

* A comissão de RP será formada por um RP Staff de cada raça, e que tenha conhecimento de RPG e das regras que envolvem o assunto e os mesmos terão a função de avaliar e definir as questões pertinentes às ações em RP, sendo elas:

- Análise e liberação de cronicas à serem lançadas pelos grupos;
- Análise e definição de ações em RP indefinidas ou duvidosas.

3) OOC (Out of character):

O chat aberto deve ser utilizado apenas para interpretações e ações em RP. Ou seja, utilizado para comunicação de personagem para personagem.

Quando houver necessidade da comunicação de player para player, ou seja, fora da interpretação, o ideal é que seja utilizado o MI. Entretanto, quando se faz necessário a comunicação com mais player´s envolvidos na ação, é possível utilizar o OOC, podendo ser feito de 2 maneiras:

- ((Coloque tudo entre parênteses duplos. Todos entenderão que é OOC))

- Digite /9ooc e o texto desejado, e as letras ficarão na coloração esverdeada, caracterizando que trata-se de um OOC. Essa função é uma função do DCS.


4) MAGIAS DE RP

* Magias de sucesso tem que ser acima de 15 pra cima. Exemplo: Teletrasporte pode ser Magic, mas com ela tem que colocar sucesso acima de 15, isso para quando for usar a magia em você mesmo.

Exemplo:
SUMINDO PELA LUZ
O anjos se teletrasporta e ao mesmo tempo uma luz muito forte aparece na hora da ação. Muitos anjos usam esse efeito para ir para o Eden.
Sucesso: Acima de 15
Classicação: Magic


* Todas as magias terão uma classificação e terão que ser feitas baseadas no livro adotado pela raça. Magias terão que ser aprovadas pelos Senior.

* As magias terão classificação para usar nas aventuras, sendo terá limites de magias a ser usadas nas aventuras, são elas:


Qtde Magias -> Classificação

livre -> Magic
livre -> Defense
livre -> Attack
02 -> Capture
03 -> Healing
01 -> Resurrect
01 -> Execute


Magic = Magias naturais da raça, são fracas, não prejudica inimigos. Não pode curar, não pode defender, não pode atacar. Bom magias Magic só pode usar a seu favor tipo: Teletrasporte, voar e outros.

Defense = Magias usadas para defesa, assim não podendo ser de ataque.

Attack = Magias usadas para atacar, assim não podendo matar e nem usar para se defender.

Capture = Magias para capturar inimigos.

Healing = Pode curar fisicamente tanto o jogador como outros jogadores.

Resurrect = Ressuscita personagem, tanto o jogador quanto outra pessoa.

Execute = Magia que mata inimigos na hora, sendo as mais poderosas do jogo.


> OBS: Cada sessão de RPG é chamada de Aventura e um conjunto de aventuras com as mesmas personagens e continuidade de história é chamado de Campanha. Unica magia que pode matar o inimigo é a Execute.

* É permitido 20 magias por raça, todas as 20 magias podem ser usadas em uma aventura, sendo que cada raça vai dividir as magias por classes, exemplos:

Vampiro:
TOQUE DA CURA (Valeren)
O vampiro põe suas mãos em uma ferida e acelera a cura dela. O alvo sentirá uma sensação de que o local da ferida ficará um pouco quente, enquanto estiver sendo curado.
Sucesso: Acima de 15
Classificação: Healing

Magos:
*Corvo das sombras*=O mago se transforma em corvo, essa magika pode ficar quantas rodadas o mago determinar sendo que se transforma em corvo poderá voar
Sucesso: Acima de 15
Classificação: Magic


5) TURNOS + AÇOES

* Cada ação tem uma reação. Se você tentar da uma facada em um inimigo, mesmo que acerte a facada o inimigo terá chance de defesa no turno dele, vamos respeitas os turnos, se você tentar da um tiro no inimigo não quer dizer que você conseguiu né? Vai que ele use uma magia que proponha um escudo em sua volta?.

* Não haverá morte instantânea no RP, se uma pessoa usar alguma magia ou ação mortal, a pessoa atacada terá chance de fazer uma ação de defesa. Se perde a ação de defesa é que pode morrer

Exemplo:

Ewerton Tremor vendo um inimigo antigo (Vibe) já com muita raiva joga uma magika pra mata seu adversário *Chuva do terror* ((=Essa magika e mago usa todas suas forças fazendo cair chuva acida sistema=essa magika de ataque antiga todos os inimigos o mago usa todas sua forças sendo então que depois o uso ficara fraco ))

((Rolam os dados Ewerton ganha ))

Vibe Timeless vendo pinga gotas acidas sobre sua pele tenta se teletransporta do local e se afastar da daquela região aonde estava "vou morrer se não conseguir sair daqui rápido".

(( Vibe ganha nos dado ))

Ewerton Tremor tenta se teletransporta atrás do hunter pra tentar encontrá-lo e fala sorrindo * vou te pegar nem que seja no inferno *

(( rola os dados Ewerton ganha ))

Vibe Timeless vendo seu inimigo fica irritado *como pode, faz muito tempo que já que não lutamos vou te matar* joga uma disciplina do caçador na tentativa de prender o mago (( Paralisar inimigo: Os hunter usam ussa habilidade para caputurar monstros)).

(( rola os dados e Vibe ganha ))

Ewerton Tremor sendo paralisado tenta se teletransporta de volta *não será fácil me pegar*

(( rola os dados Vibe ganha ))

Vibe Timeless vendo o mago que tentou lhe matar ali paralisado sai andando, já muito cansado deixa para matalo outra hora e assim continua caminhado em direção a praça da cidade se sentindo vitorioso.

FIM DO RP




BOM JOGO A TODOS!!!!



PROVA: http://wwwmilhistoriasderpg.blogspot.com/

PROVA: http://wwwmilhistoriasderpg.blogspot.com/2010/06/eu-fiz-pra-ton-tn-sistema-de-rp-ton-rpg.html

PROVA: http://wwwmilhistoriasderpg.blogspot.com/2010/05/gfgggg.html


REGISTRADO!

BASEADO EM FATOS REAIS






(( O vampiro Vibe, essse personagem é nosso Vampiro Nagaraja)).

Baseado em fatos reais


Olho sempre a cima dos prédios, gosto de falar sobre a morte, ela me alimenta, eu carrego a morte comigo mas trago junto dela o renascimento. Uma vez ouvir dizer sobre o poder de jhor que é poder da morte, que é isso, que é aquilo e bla bla bla. Sabe o que eu fiz com o cara?...

Nada! Apenas escutei ele falar. Achou que eu tinha feito o que? Pois sim, dou-lhe toda minha fortuna se não ocorreu em sua mente que eu teria atacado ele, foi? Seu bosta! Acredita que nenhum vampiro é capaz de se controlar? Se não achou que eu tinha atacado ele, sinto em lhe dizer que não tenho um tustão se quer.

Se bem que depois, de uma conversa ele me paralisou, por pouco eu escapei. Ele queria me destruir, olhei para aquela figura, o achei incrível, era carregado por bondade mais era um assassino com super poderes. Fiz ele sangrar muito sem encostar nele, lhe arranquei a alma por alguns minutos, tempo suficiente de ter quebrado as pernas e um dos seus braços. Nossa eu li a mente dele, eu pude sentir toda a sua vida percorrer em minha mente. Parei! Poupei a vida dele, prefiro me alimentar de carne dos que já tem um caminho traçado, no inferno, esses sãos ótimos alimentos e me faz crescer e evoluir. Mas sempre há quebra de exceções. Ele me deu um rosário, era um rosário negro, gostei da cor, ele falou que tinha ganhado de um grande ancião eutanato e que nunca mas ia caçar vampiros. Não entendi nada.

Hoje pode ser que ninguém acredite em mim, acreditar em vampiros não é algo tão comum de se ver, muitos acham que eu sou louco, como a carne humana em vez de beber o sangue, mais minha refeição vem de seus própios atos. Independente do que os outros acham, eu tenho certeza do que aconteceu na quela noite do tal assassino.

Durmo numa boate que esta desativada, no lado da biblioteca, fiz um furo em cima do teto que funciona de porta, eu estava deitado, lembro de acordar assustado, deveria estar tendo algum pesadelo que não recordo agora qual era. Estava deitado de barriga para cima, com a mão e braços cruzados sobre o peito, como uma múmia, tava um odor muito forte na quele lugar que era do sangue e de carne podre, isso não vem ao caso, era a primeira vez que eu tinha um pesadelo em toda minha vida de vampiro. E a escuridão da sala me observava, tinha sol lá fora, mas eu já tinha arrumado a boate pra ficar totalmente escura por dentro. Nossa, escutava sussurros, já vem um breve pensamento que poderia ser algum tipo de alma perambulando aquele lugar, senti a presença de algo, mas no mesmo instante sumiu, o rosário começa a se mexer. Ouvia sussurros em minha mente agora. Esse rosário permite me comunicar com os mortos.

Isso já ocorreu a muito tempo, mas ainda carrego o rosário negro em meu peito, sou considerado louco quando conto minha história. Eu me chamo Vibe Timeles!


EDUARDO TEIXEIRA

sexta-feira, 25 de junho de 2010

O CEIFADOR DE MONSTROS

O ceifador de monstros

Num local afastado de todos, chamado de cauda do inferno, lá morava um homem comum, conhecido como Teixeira. Lutava pelo seu reino. Todo o reino comentava que Teixeira era um poderoso humano assassino, que já tinha salvado o reino muitas vezes mais matou muita gente, por isso foi morar tão longe e afastado de tudo. Lendas e mais lendas do Grande Teixeira, homem de ter matado dragão, demônios e vampiros... Homem de ter amizade com garous e anjos... Homem de ter livrado o reino de ataque de vampiros e udeads (morto-vivos/necromantes). Um aposentado honrado. Esquecendo a veracidade dos mitos populares e lendas famosas, o certo era que Teixeira era muito conhecido, como O CEIFADOR DE MONSTROS.



O ceifador de monstros foi chamado...

O reino estava em perigo...

O pedido foi negado...

Mais o trono do reino foi lhe ofertado...

Braço cruzado nega e fica irritado...

A verdadeira historia foi contado...

- SEU FILHO FOI MORTO PELOS INIMIGOS E NOSSO EXERCICITO FOI EXTERMINADO.


O ceifador de monstros fala:
- Vai ser um banho de sangue que a lua testemunhará nesta noite.


O mensageiro:
- É os Nezumis senhor!


Os Nezumis eram como ratos gigantes, tinham, aproximadamente, 1,50 metros e eram dotados de muita vontade, resistência e inteligência. Mas eles temiam a lenda do ceifador de monstros.

O ceifador de monstros observa uma tropa de mais ou menos 6 a 7 monstros, monstros indefesos era assim que ele via eles. Mas antes que algum rato das Terras das Sombras pudesse ter alguma reação,Teixeira, junto com seu machado gigante, partiu para cima deles, surpreendendo a todos, e deu um urro tão estrondoso e horripilante que aqueles Nezumis que estavam à frente hesitaram e se tornaram as primeiras vitimas.


Próxima tropa estava em frente ao portão da cidade, uma cidade muito grande e com uma população grande, pena que indefesos pois não sabem lutar. A audácia e a coragem do ceifador incentivaram mais guerreiros a partir para a batalha frente aos, já assustados, Nezumis.

A cada movimento que, o então monstruoso, ceifador de monstros fazia com seu machado, vários Nezumis eram despedaçados e com uma voracidade incontrolável ele criou o caos entre aqueles pequeninos ratos, que de tanto medo começavam a debandar. Assim todos os guerreiros lutavam ao lado do ceifador de monstros.

O ceifador de monstros tira seu arco e flecha a e pra cada flecha um rato morto. Após uma longa batalha, os guerreiros conseguiram observar a magnitude do ataque sofrido e da vitória que eles acabaram de conquistar. Cerca de 400 corpos espalhados pelo chão, formando um tapete de sangue, iluminado pela belíssima lua que ali estava.

Uma vitória...

Não sobrou nenhum monstro...

Um dia de gloria...

Uma lagrima cai do seu rosto...

A muito tempo não falava com seu filho...

Sua esposa já tinha se ido...

Sem rumo segue o ceifador de monstros...

Ele nunca mais voltou...

Mais a lenda até hoje é contada...

" DIZEM QUE O SOBRENOME - TEIXEIRA - VEM DESSA LENDA, UNS DIZEM QUE É VERDADE E OUTROS DIZEM QUE É MENTIRA, BOM SE É VERDADE OU NÃO EU NÃO SEI, SOU SUSPEITO EM FALAR."

BY Eduardo Teixeira

Chegando à Cidade de Ouro - Garou

((Aqui Vibe é um garou da tribo senhores das sombras, nascido na lua cheia e seguidor do Grande Avô. Vibe após cinco anos de treinos volta na ativa de novo e agora tudo indica uma cidade a ele. Boa leitura RPGistas)).




Chegando à Cidade de Ouro




Um senhor das sombras

Eu tinha acabado de matar um humano... Nunca vi um humano tão forte... To dando muita risada, poderia ter deixado ele viver por ser tão diferente... Ele, eu já sei que não preciso me preocupar arranquei sua cabeça... Acabo de escrever uma carta sobre o ocorrido, uma carta para deixar autenticado para os espíritos.


Faz dois meses apenas que estou de volta, minha jornada foi longa e cheio de obstáculos uma jornada de treinos e com apoio do avô trovão e de meus ancestrais que falam comigo. Não sabia em que cidade eu estava. Meus cabelos negros estavam na hora de cortalos, assim caminhando pelas ruas da cidade, meus olhos caninos estavam semi-abertos, olhando tediosamente tudo em minha volta. Fiz pra mim um “abrigo secreto”. Bom tinha encontrado o esconderijo num bosque perto da cidade, ele me parecia não ter dono. O esconderijo era uma minúscula cabana feita de tábuas velhas e escuras, com muitos galhos e folhas para escondê-la. A cabana tinha dois metros quadrados mais ou menos, uma falha em uma das paredes servia de porta e havia algumas goteiras, fora isso ela não tinha aberturas.

Agora, não era mais secreto.


Tinha acabado de escutar um barulho, questão de segundos sinto a cabana cair, rapidamente eu me transformei, não temia nada, todos os seres terrestres estão abaixo de mim. Pêra ai. O que não tinha lógica era um Garou me atacando. O que eu fiz??? Eu me perguntei muitas vezes essa mesma pergunta. O delicia, o prato da noite vai ser Garou assado, seja o que for, ou é eu ou é ele. Ele trazia consigo a cabeça do humano que eu tinha matado, não muito longe daqui. À batalha foi sem duvidas sangrenta, matei, e matei com prazer, ele estava cometendo um erro a me atacar. Eu estava muito furioso e mataria tudo o estivesse na minha frente na quele momento. Meus graves ferimentos estavam regenerando aos poucos. Escuto barulho de outro vindo. Como me acharam??? Que pergunta mais besta, qual o Garou não vai encontrar sua presa???

Eu fugi!!! Mas antes de fugir soquei uma carta no morto que estava ali no chão!!!!






À carta


******* ******* ******** ********* *********** ********

Já fazia algum tempo que eu sentia estar sendo seguido mais era realmente estranho. Eu estava caminhando num bosque de arvores jovens, acabo de voltar apos cinco anos de treinos, me transformei na minha forma crinos. Estava farejando uma mancha de sangue, estranho, sentia o cheiro de alguém por perto e estava no meio de umas plantas grande, derrepente começo a sentir mais o cheiro do humano e escuto sua respiração ao caminhar por perto dele.

Escapei de dois tiros.

Apenas ergui minha cabeça e realizei um uivo que ecoou por todo o local, um uivo sem duvidas muito alto, alto mesmo. O humano se levantou e correu muito, ele foi parar num celeiro, conseguiu trancar a porta. Eu caminhava tranquilamente.

Abri com apenas um golpe a porta do celeiro.

Uma cede por sangue, uma fúria que me fazia destruir o celeiro.

Fiquei surpreso quando uns pedaços de caixas de papeloes caem perto de mim, ainda, mas surpreso eu fiquei quando o fogo se iniciou, as chamas se espalharam rapidamente. Escapei pela janela. Por pouco não era meu fim. Com um longo pulo, cai em cima dele. Ele me enfia uma faca de prata que pega de raspão e resmungava que não ia acabar por ai. Joguei pra longe a faca dele, lavei seu rosto com a saliva que sai da minha boca e com uma mordida no seu pescoço arranco sua cabeça... Mal cheguei e já to sendo caçado. Um a menos pra incomodar.

Bom escrevo essa carta, para deixar autenticado meu ato.

Vibe Timeless.

******* ******* ******** ********* *********** ********

À carta foi encontrada:

- Onde foi mesmo que você encontrou essa carta?

- Senhor, num local impróprio, senhor.

- Que local, homem? Diga. Que merda. Fala logo.

- Tava enfiado no ânus de nosso irmão senhor.

- ...





À caminho da cidade de Ouro


Sou filho da noite...

Observo pelas sombras...

Luto pelas sombras...

Sou incansável...

Sou impiedoso...

Sou intocável...

Sou guerreiro...

Não tenho medo...

Não tenho dó...

Olhe para sombras e me Vera...

Curvan-se...

Essa é a minha tribo...

Os senhores das sombras...




Ah, os dias passam rapidamente. Acho que eram três horas ou algo próximo. Preparei o revolver com seis balas, as outras deixei no bolso da calça, ainda as procurei, apenas para acalmar os animos, todas as seis estavam ali esperando para serem usadas. Sei que não preciso disso mas gosto desses brinquedinhos, na minha forma humana gosto de aperta o gatilho. Estou numa cidade pequena, achei o local aonde um vampiro se esconde... Grande esconde-esconde pena ele não saber brincar.

Cheguei no local, estava observando dois homens na porta. Não tentaram força-la, eles usaram um meio mais sutil, a arte de destrancar uma porta sem ter as chaves. Isso parece estar divertido. Faltou uma pipoquinha aqui não???. Falando nisso acaba de me dar uma fome. Bom continuando, os caçadores estavam preparados, à porta e às janelas estava abertas, o sol ajudava eles, uma granada de fumaça acompanhei ela rolar e assim eles entraram. Um disparo, dois, três e quatro... Um deles voando pra fora e o outro gritando dentro da casa. Me transformei na minha forma Crinos e corri pra lá...

Coloquei as mãos no seu pescoço e cintura, depois o arremessei o vampiro na parede sólida em pleno vôo. Ergui-o pelo pescoço, fiz sinal para os caçadores sair, e eles ficaram olhando um pela janela e outro pela porta. Caminhei até o maldito e ergui-o pelo pescoço, olhei bem para ele com desprezo e mostrando que era seu fim. Arremessei e desta vez na direção da porta. Ele queimou à mão. Ainda teve sorte, pois poderia ter ido parar lá fora.

Ele escapava de mim, realmente era bem rápido, mais com a minha mão fechada faço atravessar toda a sala com tamanha foi a fúria de um soco. Aproveitei vendo ele caído e mordi seu ombro deixando seu braço pendurado, o vampiro enfiou os dedos em meus olhos nossa não deu pra aguentar assim recuei. Ele pegou uma arma numa gaveta, mesmo assim mordi sua perna arrancado-a do joelho pra baixo. Ele disparou tiros na minha direção, balas de prata um tiro, dois tiro e a mira estava em mim, desta vez eu corri um tiro pegou no meu braço e outro nas minhas costas corri para fora da casa não esperava encarar a prata assim dessa maneira. Então uivei alto e fiz meu som ecoar por toda a área. Os caçadores terminaram o serviço, e me sentei no chão os dois caçadores caminharam até a mim e apenas soltaram um papel e me falaram o nome de um lugar " Cidade de Ouro"... Já tinha escutado esse nome, e foi pela boca de meus antigos irmãos.

Fui para a umbra, sou um senhor das sombras nascido na lua cheia ...

Eu sentia um vento forte soprando ainda estava na minha forma crinos, meus olhos buscavam no firmamento sinais dos mensageiros do Avô Trovão, caso não aparecessem eu voltaria para o mundo físico. O tempo passa e eu ali à descançar. Em meio a escuridão da noite umbral, percebi a satisfação no brilho dos olhos de um corvo que me observava, os corvos eram os mensageiros do avô trovão, já tinha muitos ali e cada vez mais corvos sobrevoavam os céus, mas apenas um parou e falou comigo, o mesmo que me observava. Eu retribui o olhar com uma reverência, e assim dirigia a palavra ao espírito, na língua falada por eles:

- Vejo que está satisfeito com minhas ações espírito, perceba que não sou um tolo, treinei muito na umbra e em locais que o avô trovão me guiou, sobrevivi e sigo assim sobrevivendo e seguindo meu destino. Me traz uma mensagem do Grande Totem?


O Espírito apenas diz:

- O Grande Avô me mandou acompanha-lo em sua jornada à Cidade de Ouro.
Não tenho todas as respostas, posso ler sua mente então antes que me faça essa pergunta tenho que te dizer... Juntos iremos descobrir. Agora, siga seu caminho vou te abrir um portal, siga, se veremos em breve. E não se esqueça estou com você.




Assim Vibe o Garou chega na Cidade de Ouro.


Que Gaia esteja conosco!!!



Cronica By: Eduardo Teixeira

quinta-feira, 24 de junho de 2010

O DESPERTAR DE UMA BRUXA


Pelos meados de 2000ac em uma noite onde a lua parecia que ia explodir de tão cheia, os animais e criaturas pareciam ensandecidos, as ondas soavam longe na pequena cidade de Nortre Dame, uma aldeia cigana em expectativa, os lobos uivam, os seres da floresta atentos, as pessoas esperando. Todos ficam em silêncio, parece que o tempo para, quando finalmente se ouve o choro de um bebê que ao nascer já possuía uma espécie de marca/tatuagem com o símbolo do infinito. Bruxos e ciganos já são festeiros por natureza, ao ouvir o choro da tão esperada criança então...

A inquisição estava no auge, seu povo vivia se escondendo da Igreja, dos caçadores e criaturas malignas. A infância de Mariazinha Avedon foi típica e atípica aos extremos, ela via mais que as outras crianças, sentia mais, no fundo ela sabia que não era tão “normal” assim. Nunca foi a escola, quem ensinava as crianças era a anciã do grupo. Ela sempre contava histórias de como seu povo vivia feliz, dos sabás comemorados ... Sobre a deusa e o deus. Principalmente sobre como a mágika deve ser seguida e sua importância. Aprendeu a respeitar a natureza, porque a conhece e a ama. Porque a ama, cuida. Porque cuida, cura.

Mari (como era chamada por todos) voltando para “casa” após passar por seu ritual da CERIMÔNIA DO PRIMEIRO SANGUE depara-se com uma cena devastadora, fogo por todos os lados, crianças chorando. Absolutamente todos os adultos mortos, esquartejados, queimados, somente as crianças foram poupadas.

Depara-se então com o peso da responsabilidade, após pegar todas as crianças (em torno de 7), acalmá-las, explicar o acontecido e orientá-las. Mariazinha coloca todas na carroça na qual havia ido para seu ritual e as deixa em um orfanato, sob a promessa que um dia as encontrará, que as mesmas nunca percam as esperanças e nunca deixem a magika morrer, porém que misturem-se muito bem à aqueles que não vêem o que os escolhidos vêem.

Ao sair do orfanato, respira fundo e pensa *-Mãe me ajude, me guie e me guarde, que a deusa sempre esteja comigo...* Entrou no emaranhado da floresta para se esconder dos caçadores de bruxas e dos sem fé na Deusa, lá manteve-se reclusa por alguns outonos, fez sozinha os sabás e rituais que lhe cabiam, sem esquecer nenhuma data. Nas profundezas mais escuras da floresta aprendeu a dominar os demônios mais poderosos, os seres mais horrendos e principalmente a controlar sua mágika.

Decidiu então que já era hora de enfrentar o mundo exterior, penteou muito bem os cabelos, colocou na cabeça sua jóia de família, o vestido que havia feito, suas jóias nos pés e mochila... Seus olhos tomaram outra vida, ela apagou sua fogueira, colocou o pêndulo cuidadosamente amarrado na alça do sutiã e foi saindo da floresta.

Após tantas batalhas com demônios e outras criaturas ela avista uma cidade. Sentindo-se amaldiçoada, impura, enfeitiçada, com medo e ansiosa ela vai de encontro ao mar e diz baixinho - Eu pratico este gesto de purificação, No local do início de toda vida; As ondas cobrem o corpo e o espírito; A poeira cai no mar que limpa; Estou renovada e fresca, Fresca como o mar –
Ela saiu da água e deixou que o vento a secasse andando em direção a TON...




To be Continued...



FEITO POR: Gabrielle Reis


NOME DO PERSONAGEM DA AUTORA: Mariazinha Avedon



MUITO OBRIGADO!