Páginas

ATENÇÃO

- Blog: Cronicas e Contos de RPG - Eduardo Teixeira (textos protegidos, sua reprodução é proibida sem a autorização prévia do autor).

SOBRE A LEITURA: VAMOS LER, POIS LER É APRENDER.


A importância da leitura vem a cada dia ganhando força em seus diversos segmentos, pois é um dos requisitos básicos na aprendizagem do indivíduo. O ato de ler é muito importante, pois a leitura vem aos poucos contribuir para a formação de leitores capazes de reconhecer as sutilezas, as particularidades, os sentidos a extensão e a profundidade de cada texto lido.

Quem lê muito escreve bem

Não há como negar que ler contribui para a desenvoltura na escrita, pois vamos incorporando bons modelos de estruturação das ideias, ampliando repertórios, conhecendo novas palavras. Porém, é comum encontrarmos pessoas que leem muito, mas encontram dificuldades para escrever. Pode ser que isso ocorra pela qualidade da leitura. A leitura para a apreensão de conteúdos é básica; no entanto, se também prestarmos atenção na forma como os textos são compostos, podemos usufruir de todo o conhecimento a respeito da linguagem que uma leitura efetiva pode proporcionar e, assim, vamos nos tornando capazes de compor bons textos.

Vale a dica: Estar atento aos modos particulares de escrever dos diferentes autores, em especial daqueles que apreciamos, pode ser um prazer a mais na leitura. Pensar em como você próprio escreveria sobre o tema (e aventurar-se a escrever!), valendo-se do conhecimento dessas inúmeras possibilidades, ajuda-o no aperfeiçoamento de sua própria escrita.
Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

QUE COMECE A CAÇADA - Hunters/caçadores










QUE COMECE A CAÇADA

Sempre que as sombras se estenderem até envolver suas vidas, sempre que os problemas parecerem sem solução, sempre que o modo que não é correto pareça o caminho mais fácil para sair das dificuldades, lembrem-se estamos sendo observados . Eles olham aquilo que fazemos, ouvem o que pensamos e sabem o que sentimos. E para tudo há uma resposta. Para cada ação ilícita há uma punição e para cada ato meritório há uma justa recompensa.

Em todas as guerras, sempre há aqueles que se destacam dos simples soldados, Hunters que com seus feitos e atos mudam o destino de muitos, e estes estão destinados a serem reverenciados pela história.

No Reino perdido começava o maior conflito de toda história, evolvendo humanos caçadores dos quatros cantos da Terra, onde a vida de milhões estaria em jogo. Apenas os bravos poderiam enfrentar a opressão dos monstros e defender a luz em beneficio da humanidade.

Um Hunter é um grito abafado em meio a milhões. É o modo que a humanidade encontrou de se defender de seus predadores e não por ser valoroso, capaz ou ao menos escolhido. Por puro azar, ele agora carrega o mundo inteiro em suas costas. E o único jeito de largá-lo é morrendo.

O caçador inicialmente, está sozinho. Ele é uma vela em meio ao breu, e é mera questão de tempo até que ela se apague. Tudo o que ele pode fazer é esperar que alguém seja guiado pela sua parca luz e que outras velas se acendam para carregar o fardo adiante quando ele se for.

Caminhando por essas terras, entre os homens mortais e os monstros. Vagava cruzando estradas, buscando um caminho e principalmente uma razão para nossa vida. Não temos medo da morte e se deparamos com ela diversas vezes , mas mesmo assim sobrevivemos. Assim se tornamos fortes nesse Reino repleto de monstros. Quando chegamos nesse lugar estranho. As folhas caiam com os ventos frios do sul. Chegou o inverno e depois o verão. Os dias passavam e os Hunters eram recebidos como heróis.

O sangue que corre em nossas veias não pode ser negado mesmo que nós o desprezemos somos humanos não simples humanos mais humanos caçadores com dons e habilidades para extermina qualquer monstro , aprendemos a dominar tudo isso. Uma única palavra dominou nossas vidas : caçar.


AUTOR: Eduardo Teixeira

O CASTELO VIRA FORTALEZA - Hunter



O CASTELO VIRA FORTALEZA

Humanos deixam rastros. Criaturas que um dia foi humano também...

Os Hunters voltam de uma caçada sendo recebidos como heróis. O próprio Senhor dos Hunters, Hunter Supremo, lendário, generais , sentinelas, guardiões e guerreiros ( titulos dados aos caçadores da era medieval ) se faz presente na festa de retorno dos sobreviventes e feridos. Bebem em homenagem as cicatrizes conquistadas e aos corpos esquartejados dos monstros caçados " malditas crias saídas das entranhas da terra".

Após alguns dias, quando está completamente recuperado dos ferimentos. O mais novo interesse cresce diariamente, livrar o Reino dos monstros e proteger o Rei. Entretanto, no meio da noite, alguém adentra a fortaleza Hunter , localizada no meio do Reino perto do Castelo do bondoso Rei. Os guardiões da fortaleza já barraram a pessoa que entrou sem permissão e sem convite mais já descobrem que é um mero humano e chama os lideres humanos para mostrar o intruso que usava um manto em seu rosto.

Minutos se passam e os Hunters se levantam pois poderia ser uma armadilha e quando tiram o manto negro do rosto do intruso inacreditavelmente descobrem que era o Rei e todos saúdam o nosso bondoso Rei. Ao primeiro comando do Senhor dos Hunters todos os Hunters abaixam as armas rapidamente e escutam o que o Rei tem a falar :

- Meu Castelo esta rodeado de seres maléficos e monstros por todas as partes eu venho aqui pedi que usem meu castelo como sua fortaleza , também sou um de vocês posso sentir um mostro a quilômetros de distância.

A resposta vem à tona :

- Somos caçadores, aqui todos são escolhidos, humanos lutando contra monstros, e sabemos quem são os escolhidos. Quando se Despertam aqui passam por uma fase de incumbência. Após isso viram caçadores. Todos aqui têm dons e habilidades para exterminar qualquer tipo de monstro. Vossa Excelência já sabe, nem sei o que eu estou fazendo, tentando explicar. A maioria das vezes montamos quatro grupos de cinco caçadores, cada um rumo ao norte, leste, oeste e sul. Vamos aceitar sim Vossa Excelência, vamos caçar monstros e proteger o senhor com todas as nossas forças.

Os generais não ficam nenhum pouco contentes de serem importunados durante a tranquila noite de sono, mas por já ter sido sentinelas, entende a situação. No início da manhã os nobres são reunidos para passar os acontecimentos recentes a todos os Hunters e ouvir sua decisão final. O supremo Hunter toma a palavra e sugere proteger o Rei custe o que custar. A reunião é interrompida por um sentinela que entra e diz que há um mensageiro do Rei no portão, aguardando uma resposta. Assim todos se arrumam e partem para a nova fortaleza: o Castelo do Rei. Saindo por um portão lateral, eles rumam até o castelo que está entre as casas já evacuadas dos camponeses. Já no pátio do Castelo todos se instalam e se sentem em casa.


AUTOR: Eduardo Teixeira

O reino perdido - Hunter ( caçadores )


O REINO PERDIDO

O Reino Perdido como é chamado pelos moradores essa cidade repleta de guerra onde os humanos temem sua própria terra, a qual um dia foi um cenário bonito. As vezes perguntamos aos humanos, se esse Reino os atrai. As casas com madeiras rachadas junto as chaminés velhas e enfumaçadas . Uivos e gritos na madrugada. Os secos latidos, as fogueiras da rua . As ruas são sexo e morte, a mais feia forma de beleza, uma promessa com sorriso de uma donzela na madrugada que mal sabemos de qual raça é, se é mesmo humana ou não , mais um sorriso que faz com que a noite pareça mais doce.

Sejamos diretos humanos: Se tem sorte não sabem coisa nenhuma sobre o Reino perdido , dos verdadeiros infernos das florestas tendo seus becos sem saída. Podem dar uma volta pelas tavernas, tomar um pouco de bebida, descarregar suas frustrações, porem não sabem nada acerca da sobrevivência nesse Reino cheio de mistérios ocultos. Um lugar perdido, uma guerra sem fronteiras, o mundo não pode saber da existência dessa guerra contra monstros de diversas espécies tais como Demônios , Vampiros e Dragões entre outros.

Nós HUNTERS, nos aproximamos desse Reino perdido como os escritores a uma metáfora usada demais. Essas terras são tudo aquilo que nós queremos que seja: rápida, sedutora, perigosa, viva, misteriosa e letal , perfeita pra uma caçada. Porém no final, estamos atolados em podridão até o fundo de nossas almas, porque esse Reino foi nosso lar um dia, agora milhares de pessoas mortas e ainda as mortes continuam , aqui ja vimos de tudo. Milhares de humanos querendo viver!

Essa terra contém tudo o que há de mais importante a nós hunters, temos nossa missão aqui, nossas armas, dons e habilidades e junto colocamos nossas vidas nessa batalha, pois se morrermos em batalha não será em vão, pois lutamos pelo bem da humanidade, lutamos pra tentar salvar o mundo e sentimos orgulho de doar nossas vidas por essa causa.

As sombras do desespero se apoderaram dos corações humanos por toda parte, as luzes se afastaram dos locais de fé e conforto, as trevas continuaram e os monstros estão por toda parte. As trevas percorrem esse Reino maldito como podemos chamá-lo, um Reino onde a noite pode ser nosso fim. As trevas correm descontroladas e sedentas pelo mundo, elas o transformarão à sua imagem, enganando, corrompendo, profanando e destruindo.
Humanos tem sua escolha...E A NOSSA, É CAÇAR!!!!

Sim que comece a caçada pois estamos preparados...


AUTOR: Eduardo Teixeira

terça-feira, 2 de novembro de 2010

SOU UM DEMÔNIO, SEMPRE FUI HAHAHAAHAHAHAH







Minha infância foi ótima, tirando umas facadas e uns tiro que eu levei o resto foi tranquilo, quando somos crianças os tiros que levamos são ruins mais isso me fez crer que se é ruim pra mim, é ruim para os outros também por isso fazia tudo em dobro nas pessoas. Não gosto de apenas matar, mais sim me diverti antes das mortes, sei lá arrancar os pé e mãos da vítima assistir ela com seus membros em seu colo em quanta agonia de dor coisas do gênero foi apenas um exemplo. Minha infância foi mesmo inesquecível, meu pai foi morto na cadeira elétrica no E.U.A assim eu minha mãe e meu irmão fugimos para o Brasil. Meu pai matou mais de duzentos pessoas e ficou pra história. Meu pai, quem diria que eu ia ganhar de você heim seu velho filho da puta HAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAH.

Minha vida começa com uma morte, é foi incrível, gostei de ter feito aquilo, eu já era conhecido como brigão e fui expulso de varias escolas. A morte? A é mesmo, foi por causa de uma garota, ela era linda e sempre dizia “oi” pra mim mais um dia ela estava com o olho roxo e eu perguntei o que houve ela disse que o namorado dela bateu nela. Qui merda odeio que bate em mulheres meu pai sempre batia em minha mãe isso é uma coisa que eu não admito!

Eu era muito feio, na boa sei disso mais gostava na Clarice ela era linda, e eu era um carinha de quinze anos com problemas de deformação. Esperei o sujeito sair da aula, sim isso mesmo o namorado da Clarice, e segui ele até num beco e soquei ele, na mochila eu levei uma serra de serrar ferro aquelas serrinhas de pedreiros sabe qual é né? Porque eu levei? HAHAHAHAHAAHAHAAAHAAHAHAHHAA. Não me faça rir né, pra serrar ferro que não é! Ele não queria confessar o que ele fez , mais quando viu pedaços de seu próprio corpo picado ele conto eu terminei cortando seu braços e sai. Nossa foi muito divertido.

Ta passou os tempos e fui expulso de novo e bla bla bla... Quando tinha meus 16 anos fui preso por ter matado seis pessoas, a policia me achou num quarto podre e destruído aonde eu convivia com ratos e baratas. Um alivio. Na prisão foi um problema matei meus companheiros de quartos, os caros não me deixavam em paz, falavam em Deus e religião eu dei a eles o que eles queria o passa porte para o céu. Vão com Deus bando de Filho da puta.

Sai com vinte e dois anos, mais voltei oito meses depois por mais uma morte. Merda me pegaram no flagrante eu serrando o saco do cara. Tudo bem menos mal eu já tinha matado mais de vinte pessoas durante esse tempo. HAHAHAHAHAHAHAHAH. Sei que eu sou foda e gosto do que faço.

Quando sai pela segunda vez fui ver minha mãe, ela tava cega e me deu a noticia que meu irmão tinha sido morto por amigos de um outro morto. Que eu matei. Hummmm parei pra pensar por minutos e conclui minha missão. Falei “ Deixa comigo mamãe isso não vai ficar assim “ ela me deu muitos conselhos e eu sai ignorando todos. Bom pra resumi eu fiz uma chacina, matei, cortei, piquei e mói...

Lá estava eu no bar bebendo, adoro esse bar, as mulheres dançando semi-nuas e algumas nuas. Faço muito fiado aqui e nem me cobraram, não sei se é medo ou porque ninguém nunca mais roubou ou desrespeitou as garotas quando comecei a frequentar o bar, devo ser muito foda mesmo. Passou os dias e tinha algo me desanimando acho que era falta de uma garota, pra falar a verdade eu nunca tive uma, nem pagando, sou muito feio. Mais os tempos mudaram...

No meu quarto escuro e podre, sabe como é né alem de ser barato serve de esconderijo. Mais numa noite uma mulher bate na porta pensei que era a policia mais não, era Clarice, uma voz linda, uma mulher maravilhosa que parecia um anjo, ela deu pra mim a melhor noite de toda a minha vida. Quando acordei, nossa a ressaca tava brava eu bebi muito mais que ela, mas ao olhar para o lado vi que ela estava morta na verdade eu não vi eu senti pelo seu pulso e por uma seringa que estava no seu pescoço na boa não dava pra ver não tinha sangue e parecia aqueles filmes aonde o ator não se move. Bom a porta aberta e tinha marcas de sapatos sujos da lama que tinha lá fora. A policia estava vindo, alguém deve ter pago pra me incriminar, esse era meu único pensamento, mais quem será?

A policia estava batendo na porta, não fui discreto e muito menos piedoso apenas explodi a porta e sai atirando em todos e pulei pelas escadas e escapei numa boa! Não havia lugar melhor pra procurar do que nos bares da cidade. Fui para meu bar favorito e a procura de um cabeludo e achei deu umas porra fiz ele se mijar e mandei ele avisar que eu ia beber em todos bar e chorar a morte de uma prostituta chamada Clarice.

A pois umas duas horas que eu mandei o cabeludo avisar por ai aparece dois sujeitos me coloraram armas nas costas e mandaram eu sai falando que ia me matar, eram matadores de aluguel, adoro matadores de aluguel, a gente mata eles sem culpa alguma HAHAHAHAHAHAAH. Me bateram um pouco até eu corta o pescoço de um e de tirar a arma do bonzão que me batia, deu um tiro em cada perna dele e esperei ele me conta, na verdade ele não queria me conta mais quando viu os dedos de seu pé no seu colo a pois acorda de uma surra ele me conto, deve ter se assustado em segurar seus própios dedos HAHAHAHAHAHAHA, ele falou que o padre tinha mandado ele.

Bom peguei meu carro roubado e arrastei o rosto dele pelo asfalto em quanto eu andava até a igreja e deixei ele cair no meio do caminho. Na igreja eu estava no confessionário, e falei pro padre que estava com as mãos cheio de sangue por que tinha matado duas pessoas e que me falaram dele, na hora ele confessou e falou de um sitio e que o bispo tava envolvido. Ok! Lá vai eu pro sitio no meio do caminho parei num bar beber um pouco, quando desci do carro um outro carro me atropela e atira em mim, parecia ser Clarice mais ela estava morta, assim me atropela de novo e continuava a atirar!

Um dos tiro acerta em mim, eu pulei a janela do apartamento de Luiza, nossa ela tava pelada, veio me atende e me deu remédios e curou meu machucado, pena ela ser lésbica, a namorada dela é psicóloga e tentou me ajudar mais ela ficou quase que biruta e queria largar até o trabalho dela, olha que pensou até em suicídio, só porque eu era o paciente dela, devo mesmo ter dado trabalho. HAHAHAHAAHAHAHAHAAHAHAHA. Bom a pois ter sido curado fui para o sitio que o padre me falou antes parei para beber, bebida com remédio sei que não era bom mais acho que não precisava mais do remédio. Ok! Fui para o sitio e chegando lá dei de cara com um lobo muito raivoso e dei umas porrada derrubando o lobo, eu sou muito forte, com um soco derrubo um touro numa boa. Bom entrei e fui pego por um rapaz muito rápido que me acertou e me derrubou e me desmaiou com uma marreta, nunca vi ninguém tão rápido. Lá estava eu numa sala com minha advogada Luiza, ela chorava e berrava muito e me contou que o carinha fez ela ver ele comendo a mão dela com a própia boca, ela me conta que ele ria na hora que “lanchou” a mão dela. Me mostrou na parede quinze cabeças de mulheres todas serviram de alimento para ele.

Ok! Eu com minha força consegui arrancar a janela ao sair a policia chegou, minha advogada me deu uma paulada e sai em direção a policia falando que era só minha advogada e morreu fuzilada pelo policial, eu me lembro que na hora eu pensei “eu nasci no século errado, eu era pra ter nascido nos tempos dos gladiarores, nas arenas, mortes e machados” pensei apois olhar um machado o mesmo serviu pra eu decapitar seis policias e fugir! Já era um dos homens mais perseguidos da cidade ou quem sabe do mundo!

Voltei ao sitio e achei o rapaz!!!! HAHAHAHAHAHAHAHAHAH. Segredo o que eu fiz com ele!

Fui achar um bar pra beber, mais fui pego pela Clarice, acordo apanhando dela e de mais umas dez garotas mais só ela me batia e eu ria muito só ria. Ela me explicou que era irmã gêmea da Clarice, e eu expliquei tudo que eu estava me vingando por ela, ela acreditou e todas as mulheres ficaram surpreendidas quando viram que eu me levantentei e qua não estava amarrado e poderia ter saído a qualquer momento. Me perguntaram porque eu não sai antes, ai eu falei que não bato em mulheres HAHAHAHAHAHAHAHA. Sério, incrível essas mulheres, eu pedi uma carona para a irmã da Clarice e ao chegar na casa do bispo levando a cabeça do rapaz que era rápido aquele que eu falei antes e tal. Clarice queria muito ir junto e me deu um beijo eu dei um soco nela e escondi ela e o carro eu entrei na mansão do bispo e tive que matar cinco policiais que estavam de segurança quando cheguei no quarto do bispo eu soltei a cabeça do rapaz em cima de uma bíblia e falei pro bispo que a hora dele chegou e ele perguntou se eu ia me diverti com isso eu falei que não que era normal mais o divertido seria o que eu ia fazer antes da morte dele, ai sim ia ser uma diversão, eu tinha uma alicate e uma serra de serrar ferro HAHAAHAHAHAAHAAHAH. Ele já tava morto mais bem na hora chega a policia e pode contar mais de cem policias e fui pego. Fui condenado a cadeira elétrica num passe que o Brasil me mandou para o E.U.A aonde fui acusado de matar muita gente lá HAHAAHAHAHAHAHAH não sei como descobriram mais os cara são bons, falta um dia para eu ir para a cadeira elétrica. Ai recebo uma visita, você a irmã gêmea de Clarice.

Agora estou aqui contado pra você toda a minha vida! Seus olhos estão diferente!




“A morte de Vibe na cadeira elétrica foi difícil ele ria muito e na primeira tentativa ele falava que os policias eram fracos e xingava eles, na segunda tentativa ele tenta se sair da cadeira e na terceira apois bastante tempo ele morre, assim assustando todos que estavam ali presente algo jamais visto. Muitos falavam que uma voz grossa estava rindo e não era a dele mais outros falaram que era o momento e que isso não tinha nada a haver.”


Voltei! Olha eu aqui e ainda com o mesmo senso de humor... Na minha visita antes da morte eu comi um bife, batata frita e tomei cerveja... E fumei um cigarro. A irmã de Clarice me falou mais ou menos assim:

- Vamos fazer um pacto, você me da sua alma e eu te faço ressuscitar para terra em poucos dias. O que me diz? Vou fazer você ressuscitar do inferno, você já é um demônio assim como eu... E ai aceita?

Eu digo a ela:
- Sim.

A gente se beijou e tivemos uma noite de amor maravilhosa, uma segunda vez inesquecível. Até que morrer pra mim teve um lado bom, isso agora. No inferno eu sofri muito nesse pouco tempo eu vi o que é sofrimento, fui puxado pra dentro das terras do inferno, a dor estava por todo o meu corpo. Em minha mente, meu Nome Verdadeiro ecoa sem parar, e imagens distorcidas e macabras da minha vida surgem e desaparecem sem parar. Meu espírito absorve toda a energia profana que o solo infernal me oferece. Aos gritos, eu vou tomando forma e renascendo. Uma nova criatura das trevas nasce...



AUTOR: Eduardo Teixeira

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

BG/ Background - VAMPIROS CAMARILLAS: Ma Rajal



Nome: Ma rajal
-Idade: 21
-Família :em óbito
-Raça: Vampiros Camarillas
-Clã: Brujah
-Idade Aproximada:105 anos
-Idade Aparente: 21 anos
-Sexo: Feminino
-Tipo físico:traços indigenas, cicatriz na coxa esquerda

-Traço de comportamento: normalmente calma, imprevisivel quando sob pressão
-Qualidade : escuta e vê de longa distancia , nunca desiste de seus objetivos, fiel aos que ama e considera
-Defeitos: vingativa, não possue reflexo,
-Objetivo: proteger aos seus
-Habilidades: Alto poder de sedução, controle sobre animais daninhos e noturnos, controle mental (telepatia, atração, sonhos)
-Fraquezas: luz do sol, estacas de ferro ou d madeira, solo sagrado, simbolo religioso e fogo.



Histórico do personagem :

1905 -Uma pequena tribo indígena comemora o nascimento de uma garotinha de olhar curioso e inquieto, ao ve-la seu pai logo exclamou "Sami" (olhar curioso) esse sera seu nome. A tribo encontrava-se em um momento muito difícil, beirando o fim. Doenças, invasões, queimadas, entre outros, significava um futuro duvidoso.
Passaram-se tres anos de grandes batalhas pela sobrevivência ate que numa tarde sombria, um ataque inesperado disseminou quase que por completo os índios naquele local, restando apenas 3 crianças que foram escondidas por seus pais antes de morrer, entre elas a pequena Sami. Por dias perdidas na mata a procura de alimento e abrigo, uma das crianças morreu, depois a outra e quando a pequena Sami ja estava sem forças a ponto de entregar-se como que por um milagre ouve vozes e logo diante de si aparece algumas pessoas que exploravam o local, entre eles havia um casal sem filhos que logo se afeiçoou a indiazinha.
A indiazinha foi levada e adotada pela família, mudaram seu nome para Ma e ganhou o sobrenome da família Rajal, tornou-se uma bela moça, educada, instruída, tranqüila. Sua vida era muito boa ate que certo dia sua casa é invadida durante a madrugada, cinco pessoas encapuzadas fazem a família refém, amarram a todos e torturam o pai adotivo até a morte diante dos olhos da família. Uma furia inexplicável toma conta de Ma que consegue se desamarrar e sem a menor noção do perigo parte pra cima dos invasores. É rendida e ferida com um punhal na coxa esquerda, o punhal é deixado e esta o guarda, pois em sua mente mais tarde o usaria.
Alguns meses depois sua mãe vem a falecer de tristeza pela morte do marido.
Agora sem nada mais a perder, Ma rajal parte em busca daqueles que mataram seu pai adotivo, logo descobre que fazem parte de uma facção criminosa, sem medir as conseqüências traça emboscadas nada elaboradas, mas por sorte consegue matar 2 dos assassinos. Dias mais tarde, depara-se inesperadamente com o terceiro assassino, sem pensar duas vezes puxa o punhal e o golpeia por algumas vezes, este ainda encontra forças para ataca-la ferindo-a ate que Ma rajal o golpeia fatalmente. A dor dos ferimentos em Ma rajal era tão fortes que esta caiu sangrando sem forças quando derrepente uma neblina densa toma conta da cidade, em meio a estranha neblina surge Lundrowich, um brujah que aterrorizava a cidade, atraído e enlouquecido pelo cheiro que o sangue exalava, este crava seus caninos na bela moça que desmaia e ele some em meio a neblina. Horas mais tarde desperta, olha ao redor, percebe que esta num castelo, vê diante de si a figura de um homem de aparência magnífica (Felipe Clarity) que lhe havia socorrido. Felipe, um ventrue absolutamente encantador, com seu poder de sedução desperta uma paixão incrível em Ma rajal, ensina algumas particularidades sobre os vampiros e convence-a a ficar em Mw. Firmam pacto e assim começa uma nova etapa onde um mundo ainda bastante desconhecido começa a se abrir diante de si.





AUTORA:Marta junqueira
Nome do personagem: Ma rajal



AGRADEÇO A MINHA AMIGA POR TER COMPARTILHADO SEU BG COM OS RPGistas DO BRASIL INTEIRO.