Páginas

ATENÇÃO

- Blog: Cronicas e Contos de RPG - Eduardo Teixeira (textos protegidos, sua reprodução é proibida sem a autorização prévia do autor).

SOBRE A LEITURA: VAMOS LER, POIS LER É APRENDER.


A importância da leitura vem a cada dia ganhando força em seus diversos segmentos, pois é um dos requisitos básicos na aprendizagem do indivíduo. O ato de ler é muito importante, pois a leitura vem aos poucos contribuir para a formação de leitores capazes de reconhecer as sutilezas, as particularidades, os sentidos a extensão e a profundidade de cada texto lido.

Quem lê muito escreve bem

Não há como negar que ler contribui para a desenvoltura na escrita, pois vamos incorporando bons modelos de estruturação das ideias, ampliando repertórios, conhecendo novas palavras. Porém, é comum encontrarmos pessoas que leem muito, mas encontram dificuldades para escrever. Pode ser que isso ocorra pela qualidade da leitura. A leitura para a apreensão de conteúdos é básica; no entanto, se também prestarmos atenção na forma como os textos são compostos, podemos usufruir de todo o conhecimento a respeito da linguagem que uma leitura efetiva pode proporcionar e, assim, vamos nos tornando capazes de compor bons textos.

Vale a dica: Estar atento aos modos particulares de escrever dos diferentes autores, em especial daqueles que apreciamos, pode ser um prazer a mais na leitura. Pensar em como você próprio escreveria sobre o tema (e aventurar-se a escrever!), valendo-se do conhecimento dessas inúmeras possibilidades, ajuda-o no aperfeiçoamento de sua própria escrita.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 22 de maio de 2010

Pronto pra guerra - Vampiro






((Essa cronica eu usei numa quest. Boa leitura RPGistas)).



Pronto pra guerra



Não era para ter acontecido assim. Aquela noite foi um inferno para mim. Primeiro o susto, depois a dor, senti que perdia a conciência e senti o sangue quente escorrer pelo pescoço. Eu não queria, mas tinha escolha? Agora ando à noite pelas ruas, espreitando alguém se aproximar inocentemente e então atacar. Fazer as pessoas sentirem o que eu senti. Mas diferente do vampiro que me mordeu, eu acabo minha refeição. De dia, tenho pesadelos. Gritos, sofrimento, sangue, dor, escuridão. Isso ainda bem assusta apesar de sentir prazer disso tudo.

Meus ex-amigos me abandonaram. Não sabiam por onde eu andava. Eu sabia por onde eles andavam. Os observava de cima de algum prédio, pensando se deveria fazer isso. Isso acabava comigo. Sentia remorso e alegria em ver meus amigos em minhas mãos, sem poder fazer nada. Sim! Foram os primeiros a quem eu provei. Era delicioso demais para apenas um. Queria mais. Fui atrás dos outros, afinal, não sou mais o que eles pensavam que eu sou. Agora eles sabem o que eu sou, ou saberiam se estivessem aqui.

Uma semana depois da minha transformação, aquele velho sangue-suga veio até mim. Zombou de mim pelos meus métodos pouco discretos e práticos. " - Pensei que já tinha aprendido em uma semana. Me enganei. Você é ridículo. Me arrependo do fundo do meu coração... hahaha... perdão... me arrependo por ter transformado você", disse ele em tom arrogante. Investi nele. Mais dor. Ele me imobilizou. Quebrou meu braço direito. " - Amador. Tem muito o que aprender ainda. Pratique mais. Seja discreto. Não queremos mais Van Helsings atrás de nós", disse ele mais suavemente. " - Seu braço vai estar inteiro até amanhã", avisou antes de sumir nas sombras. Uma semana depois ele leva tapas na cara de um conhecido vampiro! Oh! Sou fraco de mais para ter a vida eterna em minhas mãos.

Agora mesmo estou praticando. Andando com o sobretudo negro nessa noite chuvosa. Sim! Sinto cheiro de medo. Que linda mulher! Ela me encara com um ar assustado. Ela se vira e começa a andar rápido. Rapidamente alcanço ela. " -Olá" digo me aproximando. Ela não se vira. Parecia estar ocupada com alguma coisa. Ponho minha mão esquerda em seu ombro e a viro. Sinto o sangue quente escorrer junto com a água fria da chuva. A dor no pescoço se intensifica. Os dentes da moça ainda cravados no pescoço. Ela parecia se deliciar. Pouco a pouco perco os sentidos. Pouco a pouco vou morrendo.

Fraco! É ele morreu! Morreu! Era uma vez um vampiro! Ele não estava preparado para o mundo, para guerra... E vocês estão? Tem certeza?


Eduardo Teixeira
DU

Um comentário:

  1. Era uma vampira inimiga do grupo do protagonista? A referência a Van Helsing é a do filme? nesses termos nenhum novato sobrevive exceto pelo acaso ou MDM...

    ResponderExcluir