Páginas

ATENÇÃO

- Blog: Cronicas e Contos de RPG - Eduardo Teixeira (textos protegidos, sua reprodução é proibida sem a autorização prévia do autor).

SOBRE A LEITURA: VAMOS LER, POIS LER É APRENDER.


A importância da leitura vem a cada dia ganhando força em seus diversos segmentos, pois é um dos requisitos básicos na aprendizagem do indivíduo. O ato de ler é muito importante, pois a leitura vem aos poucos contribuir para a formação de leitores capazes de reconhecer as sutilezas, as particularidades, os sentidos a extensão e a profundidade de cada texto lido.

Quem lê muito escreve bem

Não há como negar que ler contribui para a desenvoltura na escrita, pois vamos incorporando bons modelos de estruturação das ideias, ampliando repertórios, conhecendo novas palavras. Porém, é comum encontrarmos pessoas que leem muito, mas encontram dificuldades para escrever. Pode ser que isso ocorra pela qualidade da leitura. A leitura para a apreensão de conteúdos é básica; no entanto, se também prestarmos atenção na forma como os textos são compostos, podemos usufruir de todo o conhecimento a respeito da linguagem que uma leitura efetiva pode proporcionar e, assim, vamos nos tornando capazes de compor bons textos.

Vale a dica: Estar atento aos modos particulares de escrever dos diferentes autores, em especial daqueles que apreciamos, pode ser um prazer a mais na leitura. Pensar em como você próprio escreveria sobre o tema (e aventurar-se a escrever!), valendo-se do conhecimento dessas inúmeras possibilidades, ajuda-o no aperfeiçoamento de sua própria escrita.
Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O VAMPIRO - Matando meu antigo personagem!


Uma lenda, Vibe um vampiro macabro, ninguém nunca mais viu ou ouvir falar. Aonde ele está???

Vibe em sua fazenda escura, afastada da população, cercada de árvores grandes, lá vive colecionando objetos macabros: um livro de receitas para canibais, um laço usado num enforcamento de um anjo, uma fita com cenas reais de assassinatos, dentes de humanos, a cabeça podre de um santo padre. Tinha desenhos emoldurados dos Sete Anões sem cabeça na parede, tinha o crânio de um camponês do século XVI, que fora perfurado para os demônios saírem. Guardava um monte de canetas enfiadas no buraco no centro do crânio. Tinha uma confissão de 300 anos atrás assinada por uma feiticeira. "Eu realmente falava com um cachorro negro que dizia que envenenaria as vacas, em louqueceria os cavalos e adoeceria as crianças se eu o deixasse ficar com minha alma. E eu disse que sim e depois lhe dei o seio para chupar". Ela foi queimada viva. Muitos objetos de sua coleção particular do grotesco e do bizarro eram presentes de outros vampiros, ou ele mesmo que roubava, ou fazia sua própria peça. Como o coração de um caçador que colocou com cuidado dentro de um vidro. A hora da caça!


O humano passou a noite bebado, fazendo coisas horríveis. Acordou de madrugada com dor de cabeça e vomitando. Estava tão enjoado sentia-se fraco e seus olhos lacrimejavam por causa da luz que vinha da lampada, a princípio, não deu atenção a isso. A ressaca não lhe permitia pensar nem se preocupar. Porém, enquanto cambaleava diante da privada, olhou de relance para seu reflexo no espelho acima da pia e viu um vampiro... O vampiro sussura lambendo seus próprios labios mostrando estar faminto:

- Eu sei o que você fez na noite passada, você matou de novo não foi? Posso sentir a dor das suas vitimas, eu vou salva-lo. Vou devora-lo. Vou arrancar todos seus membros. Eu preciso me alimentar e você precisa de uma nova vida... Sei que pode ser dificil entender, mas você me ajudará e eu te ajudarei. Alguma duvida?

- HAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. (Gritos).

- É, eu imaginei. Vou ressucitar sua alma, e aprenda a cultiva-la pode ser que não estarei lá na proxima...


O susto foi tão grande que o fez o humano entrar em estado de choque e, pela segunda vez mijou nos próprios pés. O vampiro arrasta o homem para fora até chegar atrás da velha fundição até o local onde ele matava suas vitimas. Era uma cerejeira doente e sombria, cujo tronco descascado deixava o cerne à mostra. O vampiro da um soco na cabeça do humano, deu para ouvir o crânio quebrando, e começa a se alimentar devorando a deliciosa carne humana, um ato de canibalismo que nem vampiros suportariam entender. Vibe não bebia o sangue, ele devorava e comia toda a carne possivel. O humano sangrara até morrer em decorrência de traumatismo craniano ao ser devorado... O que foi? Quem, quem...

- Solte ele!

- Ele está morto eu salvei ele...

- Em nome de Cristo ele será vingado.

- Estou incomodado por alguém querer levar cristo até aqui, cristo está um ano atrasado para fazer algum bem, não esteve por perto quando esse assassino matava suas vitimas inocentes.

O vampiro agora terá que enfrentar um caçador? Parece ser um caçador. Ele solta a virgem maria no chão, tira sua arma, uma 12 negra cano serrado. O som ia chamar atenção de todos. Era realmente um caçador. O vampiro guspiu e fez isso mirando na virgem. Um tiro. O vampiro tenta escapar não sentia a dor apenas sentia que algo estava faltado. Seu braço. Mas um tiro. O vampiro cai. Então se deu conta. Iria morrer. Claro que iria morrer. Vibe não era o mesmo, precisava de treino, seus anos solitarios em sua fazenda agora pesaram. O caçador recarrega sua arma e coloca na cabeça de Vibe. Porem se paraliza com suas palavras.

- Posso ouvir sua mulher gritando, você matou ela, aos invez de ajudar seu lado caçador falou mais forte.

O caçador começa a chorar... Mas não foi o bastante!!!! BUHHHUHMM-MUMHUH-HMMUMMHHHM...

- Bala explosiva!




Eduardo Teixeira


Matando meu antigo pesonagem!