Páginas

ATENÇÃO

- Blog: Cronicas e Contos de RPG - Eduardo Teixeira (textos protegidos, sua reprodução é proibida sem a autorização prévia do autor).

SOBRE A LEITURA: VAMOS LER, POIS LER É APRENDER.


A importância da leitura vem a cada dia ganhando força em seus diversos segmentos, pois é um dos requisitos básicos na aprendizagem do indivíduo. O ato de ler é muito importante, pois a leitura vem aos poucos contribuir para a formação de leitores capazes de reconhecer as sutilezas, as particularidades, os sentidos a extensão e a profundidade de cada texto lido.

Quem lê muito escreve bem

Não há como negar que ler contribui para a desenvoltura na escrita, pois vamos incorporando bons modelos de estruturação das ideias, ampliando repertórios, conhecendo novas palavras. Porém, é comum encontrarmos pessoas que leem muito, mas encontram dificuldades para escrever. Pode ser que isso ocorra pela qualidade da leitura. A leitura para a apreensão de conteúdos é básica; no entanto, se também prestarmos atenção na forma como os textos são compostos, podemos usufruir de todo o conhecimento a respeito da linguagem que uma leitura efetiva pode proporcionar e, assim, vamos nos tornando capazes de compor bons textos.

Vale a dica: Estar atento aos modos particulares de escrever dos diferentes autores, em especial daqueles que apreciamos, pode ser um prazer a mais na leitura. Pensar em como você próprio escreveria sobre o tema (e aventurar-se a escrever!), valendo-se do conhecimento dessas inúmeras possibilidades, ajuda-o no aperfeiçoamento de sua própria escrita.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 22 de maio de 2010

O sonho e a Realidade






"Anos se passaram desde meu chamado, quando levantei minha espada em nome da luz e passei a caçar as trevas todos os tipos de criaturas eu encontrei , criaturas que a todos faziam temer , agora nessas terras geladas cheias de escuridão e segredos eu sinto que meu ultimo ato de fé esta para ser feito e então irei de me juntar ao meu pai em seu reino nos céus eu ganhei minha vida devolta e sei que não é por acaso.
A caminhada é longa até meu destino e a cada passo que dou sou capaz de ver todo meu passado em meio , como se ela refletisse minha vida em sua brancura sem fim, vejo os rostos daqueles que um dia salvei e daqueles malditas criaturas que um dia derrotei, vejo aqueles que se que um dia se uniram a mim contra a escuridão e que hoje se tornaram apenas lembranças, sou capaz de dizer cada um de seus nomes como se tivesse passado minha vida com eles, mas não sou o ultimo que restou somos muitos e cada vez se despertam mais e mais humanos para lutar .
Já se fazem dias de caminhada entre minhas lembranças até que então chego ao meu destino, olhei mais de perto e vou caminhando por uma rua que eu nunca tinha andando , até que chego a um pequeno cemiterio da cidade e tinha um altar escrito o meu nome em frente a uma cova altar feito de pedra com a seguinte inscrição “Aquele que ceder sua vida trará vida para aqueles cuja vida não deviria ter sido cedida , vou voltar e vou derrota todos esses mostros um a um...”, após ler senti a presença de criaturas ao meu redor, milhares e me cercando cada vez mais, mas nenhuma ousou me atacar, apenas me olhavam como se esperassem que eu fizesse algo, eu sentia bondade nelas apesar de sua aparência mostrar o contrario, mas eu não julgo os outros por sua aparência, mas sim pelo seu interior, então saquei minha companheira uma magnum 44 negra com balas explosivas, porra derruba até portas de ferro e atirei no altar, ela explodiu o altar se desmanchando virando poeira , passei a sentir minha vida se esvaindo e comecei a ver o que era a aquele lugar.... agora estou aqui sentado na minha cama , fumando um cigarro é pai obrigado por me defender , eu sei que esta aqui comigo e eu te amo por tudo ... sei que não vou sobreviver para sempre mais enquanto eu estiver aqui vou lutar esse é meu destino".


citação : " EU SEI QUE COM TEMPO AQUELE QUE UM DIA ERGUEU A ESPADA PARA DEFENDER UM REINO E REERGUELO SERÁ ESQUECIDO , MAS AQUELE QUE COM A LUZ DEFENDEU O MUNDO E REEGUEU SEMPRE CAMINHARA ENTRE OS HOMENS".


DU 100% RPG
Essa é a parada!
Cronica By Eduardo Teixeira

Pronto pra guerra - Vampiro






((Essa cronica eu usei numa quest. Boa leitura RPGistas)).



Pronto pra guerra



Não era para ter acontecido assim. Aquela noite foi um inferno para mim. Primeiro o susto, depois a dor, senti que perdia a conciência e senti o sangue quente escorrer pelo pescoço. Eu não queria, mas tinha escolha? Agora ando à noite pelas ruas, espreitando alguém se aproximar inocentemente e então atacar. Fazer as pessoas sentirem o que eu senti. Mas diferente do vampiro que me mordeu, eu acabo minha refeição. De dia, tenho pesadelos. Gritos, sofrimento, sangue, dor, escuridão. Isso ainda bem assusta apesar de sentir prazer disso tudo.

Meus ex-amigos me abandonaram. Não sabiam por onde eu andava. Eu sabia por onde eles andavam. Os observava de cima de algum prédio, pensando se deveria fazer isso. Isso acabava comigo. Sentia remorso e alegria em ver meus amigos em minhas mãos, sem poder fazer nada. Sim! Foram os primeiros a quem eu provei. Era delicioso demais para apenas um. Queria mais. Fui atrás dos outros, afinal, não sou mais o que eles pensavam que eu sou. Agora eles sabem o que eu sou, ou saberiam se estivessem aqui.

Uma semana depois da minha transformação, aquele velho sangue-suga veio até mim. Zombou de mim pelos meus métodos pouco discretos e práticos. " - Pensei que já tinha aprendido em uma semana. Me enganei. Você é ridículo. Me arrependo do fundo do meu coração... hahaha... perdão... me arrependo por ter transformado você", disse ele em tom arrogante. Investi nele. Mais dor. Ele me imobilizou. Quebrou meu braço direito. " - Amador. Tem muito o que aprender ainda. Pratique mais. Seja discreto. Não queremos mais Van Helsings atrás de nós", disse ele mais suavemente. " - Seu braço vai estar inteiro até amanhã", avisou antes de sumir nas sombras. Uma semana depois ele leva tapas na cara de um conhecido vampiro! Oh! Sou fraco de mais para ter a vida eterna em minhas mãos.

Agora mesmo estou praticando. Andando com o sobretudo negro nessa noite chuvosa. Sim! Sinto cheiro de medo. Que linda mulher! Ela me encara com um ar assustado. Ela se vira e começa a andar rápido. Rapidamente alcanço ela. " -Olá" digo me aproximando. Ela não se vira. Parecia estar ocupada com alguma coisa. Ponho minha mão esquerda em seu ombro e a viro. Sinto o sangue quente escorrer junto com a água fria da chuva. A dor no pescoço se intensifica. Os dentes da moça ainda cravados no pescoço. Ela parecia se deliciar. Pouco a pouco perco os sentidos. Pouco a pouco vou morrendo.

Fraco! É ele morreu! Morreu! Era uma vez um vampiro! Ele não estava preparado para o mundo, para guerra... E vocês estão? Tem certeza?


Eduardo Teixeira
DU

Vibe, O samurai




(( Vibe Hoje é um samurai, usei essa história quando joguei de samurai. Boa leitura)).




O Samurai

Vibe nasceu para se tornar o maior samurai de sua época. Órfão criado por um tio, desde cedo se interessou pelas artes militares, dentro delas, estudou Kenjutsu, a Arte da Espada e magias e dons que os samurais conjuravam.

Desde a primeira luta, aos treze anos, conheceu o sabor da vitória. Aos 17 anos, como era comum na época, parte para sua jornada de auto-aperfeiçoamento na qual os samurais viajavam de cidade em cidade procurando oponentes fortes para testar sua habilidade.

Sua katana que foi deixado pelo seu falecido pai , um famoso samurai que foi morto por criaturas das trevas. A katana levou a ter mais de 200 embates entre os 17 e 25 anos, nunca sendo derrotado. Estas disputas quase sempre eram coroadas com a morte do rival e para um samurai a morte era encarada com naturalidade. De fato Vibe era poderoso em conjurar magia, um bom estrategista, corajoso e apto a tomar decisões, por vezes extremas, rápidas. Em guerras e disputas, sua atitude era serena até mesmo diante da morte. Vibe foi um mestre no Caminho da Espada; buscou a perfeição com dons temíveis e mortais.

Aos 28 anos, após vencer varios vampiros ao mesmo tempo , Vibe passou por uma grande mudança espiritual. Vibe sentia que venceu estes duelos não por ter dominado a estratégia, mas por ser mais forte, preparado ou simplesmente por sorte. Passa então a buscar o significado mais profundo do caminho da espada, que o leva a entrar em contato com magias impossíveis de fazer e colocalas na sua katana.

Foi com 30 anos que Vibe finalmente alcançou seu objetivo de compreender os princípios do caminho. Com 32 Vibe se isolou numa ilha onde ficou por 2 ano e oito meses treinando. O resultado foi o um samurai pronto pra derrota qualquer criatura não importando que criatura fosse.

O pai de Vibe morreu em batalha num reino aonde foi chamado de apocalipse por ter todos os tipos de criaturas assim Vibe com 33 anos segui para esse reino.

" DEPEDENDO DA MINHA ESPADA NENHUMA CRIATURA SOBREVIVERA POIS ELA VAI DECIDIR QUEM VAI MORRER ...SE FOR EU VAI SER COM HONRA ."


Eduardo Teixeira!
^^

quinta-feira, 20 de maio de 2010

WARRIORS - Guerreiros

(( Aqui é a história de uma raça que eu tinha feito para jogar, na raça tinha/tem oito classes de guerreiros pra escolher que são: Guerreiros Samurais, Guerreiros Monges, Guerreiro paladinos, Guerreiro Renegados, Guerreiro Mercenários, Guerreiro Rangers, Guerreiro Clérigos e Guerreiro Feiticeiros )).








Os Guerreiros surgiram há um bom tempo. Após o chamado Apocalypse (descoberta das criaturas, em geral criaturas não-humanas ), certos membros da raça humana, na maioria aqueles que viveram na escuridão pós-guerras , começaram a demonstrar certos dons mágicos e poderes incríveis que vinham do poder de sua mente e sua força de vontade, talvez devido à vontade de viver ou como uma adaptação ao novo e insalubre ambiente em que viviam. Foram os primeiro a sair dos abrigos e viver um grande período na nova e perigosa Terra , homens fortes e de vontade inabalável. Montando uma união de guerreiros muitos resolveram seguir seus ensinamentos e saíram para o perigoso Novo-Mundo , agora tudo na cidade do medo seria mudado a contínua a guerra contra criaturas para para-las, salva-las, entende-las, exibi-las ou simplesmente destrui-las e no final de tudo proteger nossa terra e nossos povos os humanos é a prioridade desses guerreiros. Todos os guerreiros compreendem as suas missões contra o desconhecido.No final das contas, no entanto, os seus objetivos são os mesmos, tenham eles percebido isto ou não.. Eles desenvolveram-se e criaram espadas poderosas , treinaram e mostraram seus dons e habilidades. A habilidade de um Guerreiro é temível.
Durante muito tempo grande parte dos guerreiros viveram uma vida miserável, dedicando sua vida ao seu treinamento e à luta contra criaturas que mudaram ou surgiram após o Apocalypse, que a raça humana chamou apenas de Criaturas. Os guerreiros, como eram chamados aqueles despertos da sua propia energia , então tornaram-se líderes dos humanos, e os conduziram para fora dos abrigos e para esses locais, agora tidos como abençoados, e lá começaram a construir suas novas civilizaçoes para que a raça humana sobrevivesse.
As Criaturas eram fortes e viajar de vela em vela, de uma região para outra e para os guerreiros era algo extremamente difícil e perigoso detelos mais cada vez surgia mais guerreiros e assim ficavam mais fortes. As a civilização de humanos eram amigáveis em sua maioria, e faziam comércio, afinal, era necessário, pois os recursos eram escassos. Era uma nova Idade das Trevas. Os Guerreiros que viviam em cidades povos diferentes formaram as Ordens e se uniram , podem ser grupos distintos, porém aliados e agora nada os separam.




Eduardo Teixeira

wooooooow!!!

QUE COMECE A CAÇADA - Hunters/caçadores










QUE COMECE A CAÇADA

Sempre que as sombras se estenderem até envolver suas vidas, sempre que os problemas parecerem sem solução, sempre que o modo que não é correto pareça o caminho mais fácil para sair das dificuldades, lembrem-se estamos sendo observados . Eles olham aquilo que fazemos, ouvem o que pensamos e sabem o que sentimos. E para tudo há uma resposta. Para cada ação ilícita há uma punição e para cada ato meritório há uma justa recompensa.

Em todas as guerras, sempre há aqueles que se destacam dos simples soldados, Hunters que com seus feitos e atos mudam o destino de muitos, e estes estão destinados a serem reverenciados pela história.

No Reino perdido começava o maior conflito de toda história, evolvendo humanos caçadores dos quatros cantos da Terra, onde a vida de milhões estaria em jogo. Apenas os bravos poderiam enfrentar a opressão dos monstros e defender a luz em beneficio da humanidade.

Um Hunter é um grito abafado em meio a milhões. É o modo que a humanidade encontrou de se defender de seus predadores e não por ser valoroso, capaz ou ao menos escolhido. Por puro azar, ele agora carrega o mundo inteiro em suas costas. E o único jeito de largá-lo é morrendo.

O caçador inicialmente, está sozinho. Ele é uma vela em meio ao breu, e é mera questão de tempo até que ela se apague. Tudo o que ele pode fazer é esperar que alguém seja guiado pela sua parca luz e que outras velas se acendam para carregar o fardo adiante quando ele se for.

Caminhando por essas terras, entre os homens mortais e os monstros. Vagava cruzando estradas, buscando um caminho e principalmente uma razão para nossa vida. Não temos medo da morte e se deparamos com ela diversas vezes , mas mesmo assim sobrevivemos. Assim se tornamos fortes nesse Reino repleto de monstros. Quando chegamos nesse lugar estranho. As folhas caiam com os ventos frios do sul. Chegou o inverno e depois o verão. Os dias passavam e os Hunters eram recebidos como heróis.

O sangue que corre em nossas veias não pode ser negado mesmo que nós o desprezemos somos humanos não simples humanos mais humanos caçadores com dons e habilidades para extermina qualquer monstro , aprendemos a dominar tudo isso. Uma única palavra dominou nossas vidas : caçar.


by Eduardo Teixeira

O CASTELO VIRA FORTALEZA - Hunter



O CASTELO VIRA FORTALEZA

Humanos deixam rastros. Criaturas que um dia foi humano também...

Os Hunters voltam de uma caçada sendo recebidos como heróis. O próprio Senhor dos Hunters, Hunter Supremo, lendário, generais , sentinelas, guardiões e guerreiros ( titulos dados aos caçadores da era medieval ) se faz presente na festa de retorno dos sobreviventes e feridos. Bebem em homenagem as cicatrizes conquistadas e aos corpos esquartejados dos monstros caçados " malditas crias saídas das entranhas da terra".

Após alguns dias, quando está completamente recuperado dos ferimentos. O mais novo interesse cresce diariamente, livrar o Reino dos monstros e proteger o Rei. Entretanto, no meio da noite, alguém adentra a fortaleza Hunter , localizada no meio do Reino perto do Castelo do bondoso Rei. Os guardiões da fortaleza já barraram a pessoa que entrou sem permissão e sem convite mais já descobrem que é um mero humano e chama os lideres humanos para mostrar o intruso que usava um manto em seu rosto.

Minutos se passam e os Hunters se levantam pois poderia ser uma armadilha e quando tiram o manto negro do rosto do intruso inacreditavelmente descobrem que era o Rei e todos saúdam o nosso bondoso Rei. Ao primeiro comando do Senhor dos Hunters todos os Hunters abaixam as armas rapidamente e escutam o que o Rei tem a falar :

- Meu Castelo esta rodeado de seres maléficos e monstros por todas as partes eu venho aqui pedi que usem meu castelo como sua fortaleza , também sou um de vocês posso sentir um mostro a quilômetros de distância.

A resposta vem à tona :

- Somos caçadores, aqui todos são escolhidos, humanos lutando contra monstros, e sabemos quem são os escolhidos. Quando se Despertam aqui passam por uma fase de incumbência. Após isso viram caçadores. Todos aqui têm dons e habilidades para exterminar qualquer tipo de monstro. Vossa Excelência já sabe, nem sei o que eu estou fazendo, tentando explicar. A maioria das vezes montamos quatro grupos de cinco caçadores, cada um rumo ao norte, leste, oeste e sul. Vamos aceitar sim Vossa Excelência, vamos caçar monstros e proteger o senhor com todas as nossas forças.

Os generais não ficam nenhum pouco contentes de serem importunados durante a tranquila noite de sono, mas por já ter sido sentinelas, entende a situação. No início da manhã os nobres são reunidos para passar os acontecimentos recentes a todos os Hunters e ouvir sua decisão final. O supremo Hunter toma a palavra e sugere proteger o Rei custe o que custar. A reunião é interrompida por um sentinela que entra e diz que há um mensageiro do Rei no portão, aguardando uma resposta. Assim todos se arrumam e partem para a nova fortaleza: o Castelo do Rei. Saindo por um portão lateral, eles rumam até o castelo que está entre as casas já evacuadas dos camponeses. Já no pátio do Castelo todos se instalam e se sentem em casa.


by Eduardo Teixeira

O reino perdido - Hunter ( caçadores )


O REINO PERDIDO

O Reino Perdido como é chamado pelos moradores essa cidade repleta de guerra onde os humanos temem sua própria terra, a qual um dia foi um cenário bonito. As vezes perguntamos aos humanos, se esse Reino os atrai. As casas com madeiras rachadas junto as chaminés velhas e enfumaçadas . Uivos e gritos na madrugada. Os secos latidos, as fogueiras da rua . As ruas são sexo e morte, a mais feia forma de beleza, uma promessa com sorriso de uma donzela na madrugada que mal sabemos de qual raça é, se é mesmo humana ou não , mais um sorriso que faz com que a noite pareça mais doce.

Sejamos diretos humanos: Se tem sorte não sabem coisa nenhuma sobre o Reino perdido , dos verdadeiros infernos das florestas tendo seus becos sem saída. Podem dar uma volta pelas tavernas, tomar um pouco de bebida, descarregar suas frustrações, porem não sabem nada acerca da sobrevivência nesse Reino cheio de mistérios ocultos. Um lugar perdido, uma guerra sem fronteiras, o mundo não pode saber da existência dessa guerra contra monstros de diversas espécies tais como Demônios , Vampiros e Dragões entre outros.

Nós HUNTERS, nos aproximamos desse Reino perdido como os escritores a uma metáfora usada demais. Essas terras são tudo aquilo que nós queremos que seja: rápida, sedutora, perigosa, viva, misteriosa e letal , perfeita pra uma caçada. Porém no final, estamos atolados em podridão até o fundo de nossas almas, porque esse Reino foi nosso lar um dia, agora milhares de pessoas mortas e ainda as mortes continuam , aqui ja vimos de tudo. Milhares de humanos querendo viver!

Essa terra contém tudo o que há de mais importante a nós hunters, temos nossa missão aqui, nossas armas, dons e habilidades e junto colocamos nossas vidas nessa batalha, pois se morrermos em batalha não será em vão, pois lutamos pelo bem da humanidade, lutamos pra tentar salvar o mundo e sentimos orgulho de doar nossas vidas por essa causa.

As sombras do desespero se apoderaram dos corações humanos por toda parte, as luzes se afastaram dos locais de fé e conforto, as trevas continuaram e os monstros estão por toda parte. As trevas percorrem esse Reino maldito como podemos chamá-lo, um Reino onde a noite pode ser nosso fim. As trevas correm descontroladas e sedentas pelo mundo, elas o transformarão à sua imagem, enganando, corrompendo, profanando e destruindo.
Humanos tem sua escolha...E A NOSSA, É CAÇAR!!!!

Sim que comece a caçada pois estamos preparados...


BY Eduardo Teixeira

O nagaraja - O personagem Vampiro do Vibe.


“Nova vida, novas oportunidades, isso é belo e milagroso. Não existe vida sem morte. Da seu corpo pra mim e eu te darei uma segunda chance se isso não der certo prometo te matar mais rápido. Vamos fazer uma troca seu corpo me servira de alimento e sua alma pode renascer novamente. Você não quer? Foda-se vou te matar lentamente agora , vou arrancar seus órgãos com minhas mãos e devoralo”.


Nome: Vibe Timeless

Idade: desconhecida

Animal de estimação: Corvo negro

Clã: Nagaraja

Atributos Físicos: Magro mais corpo definido , voz grossa e roca , muitas cicatrizes pelo rosto e pelo corpo.

Atributos Espirituais: Acredita em espiritismo, sabe muito bem que existe o inferno e céu conhecido como éden , anjos e demônios conhece ambos os lados.

Atributos Sociais: Solitário perante a sociedade , faz do centro da cidade um verdadeiro filme de terror com suas caçadas , mesmo quando não esta caçando é um homem sombrio que faz da medo em qualquer um , pelo visto até mesmo em outros vampiros.

Habilidades: Arremessar, controlar corvo , usar peles das faces de sua vitimas para aparecer como elas , ótimo lutador , usar cinza de mortos cremados para deixar o ambiente escuro , mexer com espíritos e controla-los , usar partes do corpo humano em geral para seus benefícios.

Virtudes: Confie em si mesmo.

Defeitos: Sombrio , imperdoável , aterrorizante , solitário.

Qualidades: Nunca desiste de seus objetivos, não importando eles qual for .

Fobia (medo): Medo de luz solar.

Fraqueza: Devem comer carne de humano crua. Os cadáveres devem estar frescos, mas os Nagaraja desenvolveram os rituais necessários para preservarem os corpos por semanas ou até mais tempo. Se durante uma noite eles não comerem carne fresca de humano (seja de uma fonte viva ou morta), eles perdem sua força envolvendo seus Atributos Físicos. Quanto mais fome sentir mais fraco ficara , sentir fome não é nada bom. Basta comer carne e tudo volta ao normal , carne é seu alimento. O corpo de um humano normal vai durar de barriga cheia por muito tempo bem que é dificil conseguir comer tanto e não é necessário comer o corpo inteiro basta um(ns) pedaço(s).

Inimigos de outras raças: Todos que se impor contra ele.

Objetivo: Ser livre. Alimenta a sua besta inferior atravez de carne humana em troca dar a eles uma segunda vida, deixando sua alma rebrotar em um novo corpo que renasce na terra , muitas vezes não é pregado isso apenas se alimenta mais é um objetivo sua alimentação. Outro objetivo é lutar pela liberdade e igualdade dos vampiros independentes, ser independente é a chave da vida eterna.

Equipamentos: celular, revólver pesado colt anaconda (. 44 magnum), balas de prata, adaga de prata, coldres de bota, para arma e adaga e uma rosa negra.

Frase que descreve o personagem: " Me da um pedaço de seu corpo pra provar se é bom??? Porque você se agarra tão firme em si mesmo??? Isto é apenas uma casca, e as cascas se quebram, seu espírito é que é o imortal verdadeiro."



Historia:


Vibe foi deixado em um mosteiro por sua mãe biológica, quando tinha apenas três meses de vida e até hoje não sabe por que!!!!

Ali ele permaneceu até completar oito anos, foi educado por freiras e padres que ali residiam, teve uma bela educação e uma infância feliz apesar das circunstancias, em um belo dia sentado na praça do mosteiro Vibe estava rodeado de corvos e falava com eles , o interessante é que não tinha corvos nessas regiões. Ele falava sozinho e dizia estar falando com pessoas imaginarias, bom ele acusa as pessoas de ser má e boas. O menino usava uma moeda falava que era pra da sorte.

Logo após seu décimo aniversário foi adotado pelo casal Jonh e Marta Timeless, uma família muito rica e tradicionalista, vindos da Colômbia para o Brasil a aproximadamente quatro anos, gostaram tanto do paiz que resolveram ficar e como não podiam ter filhos, foram até o mosteiro de são Cristóvão, lugar onde Vibe estava e conhecido por toda a cidade por abrigar crianças abandonadas e sem teto, tirando elas das ruas e as educando para formarem bons cidadãos.

Lá eles o encontraram e admirados por sua beleza incomum e fascinados por sua educação inteligência, resolveram então adotá-lo.

Então conforme os anos se passavam , Vibe se mostrava muito diferente das outras crianças de sua idade, tinha pensamentos e hábitos estranhos, gostava de se cortar com os espinhos das rosas que havia em seu jardim, isso quando você não estava usando roupas pretas e estranhas que ele mesmo cortava com tesoura, para ficarem diferentes porem do seu gosto. Usava uma moeda da sorte, sempre estava com sua moeda. Numa noite o cachorro tinha falecido ao ser atropelado por um carro e o menino a colocar a mão nele lhe da a vida de volta , os seus pais não crê no que tinha visto.

Seus pais achavam suas atitudes por demais esquisitas, para uma criança de apenas dez anos, com tudo isso acontecendo seus pais aos poucos foram lhe deixando de lado e desprezando na maior parte do tempo. O menino era sozinho e solitário não gostava de amigos, ele e seus pais não saiam junto nas ruas, pois tinham vergonha, então Vibe foi enternado em um colégio interno, permanecendo lá, por oito anos. Vibe se guarda e durante todo seu tempo aprimora a arte da mágia, convocava espíritos , tinha seus meios de comunicação atravez de corvos , podia ver quem ia para o inferno ou não , podia usar sua moeda pra ver isso ele deposita toda uma força mágica em sua moeda e sim usando pra ver quem merece ou não morrer. Bom pra finaliza ele estudava muito e assim ninguém percebia que ele era um eutanato nem ele mesmo sabia.

Quando retornou pra casa de seus pais percebeu que, ele não tinha amigos e aos poucos percebeu que também não tinha mais uma família, a mãe dele violentou o rapaz sexualmente e ameaçou de denunciar se ele conta-se pra alguém , o pai dele estava perdido na cocaína e estava metido num trafico de armas e tudo estava de cabeça pra baixo , seu pai bateu tanto nele que ele nem fez questão de reagir. Vibe só tinha e só podia confiar nele mesmo, devido isso tudo ter acontecido, aos poucos foi se tornando um jovem frio e revoltado e um grande ódio por seus pais agora habitava seu coração. Assim o rapaz sai de casa e vai viver sua vida poupou a alma de seus pais.

Na rua ele encontra de tudo , matava muitos humanos na tentativa de liviar suas alma de ir para o inferno em meio a essa jornada ele pode se deparar com um vampiro era uma bela mulher então ela diz a seguinte frase:
- Tenho esperado por esse dia durante anos, mas agora ele finalmente chegou e então poderei lhe entregar seu merecido presente, espero que goste.

De repente ele sente um estranho prazer, no momento em que ela crava seus caninos em seu pescoço. Nesse momento ele sentiu o mundo sumindo vagarosamente e então quando já estava indo embora, sentiu uma tremenda dor em todo o seu corpo, doía muito e a dor não passava , nunca tinha sentido nada parecido e nem sua mágia funcionava pra fazer essa dor passa , nesse momento sabia que estava vivo , acompanhada por um profundo e alucinante momento de prazer, provavelmente o ultimo que sentiria. Logo em seguida tomado por uma incrível e alucinante fome, Vibe não conseguia se controlar e nem mesmo raciocinar enquanto a besta dentro dele, agora desperta, o controlava.

Na mesma noite ele segue um casal em um beco escuro da cidade , paralisa apenas o homem e manda a mulher fugir , sua roupa escura e sombria tampava seu rosto ele falava para o homem paralisado:
- Sei quantas crianças você já estrupo , olha tenha isso como uma segunda chance eu vou aliviar sua alma , eu preciso me alimentar e você precisa de uma mãozinha , vamos fazer uma troca de favores e olha eu nem contei pra moça que você estava beijando que você ia estrupar ela. Coitada tão jovem e pura.

Vibe derruba o home no chão e arasta pelos cabelo para o final do beco , um corvo vigiava a área enquanto isso parecia cena de terror. Alimentado pelo ódio que havia em seu coração a besta falou mais alto, e quando se deu conta havia matado sua fome com carne humana, tinha comido carne humana pela primeira vez , era muito bom era seu alimento e estava satisfeito. O corvo avisa que a policia estava chegando no local e assim desaparece pelas sombras deixando o corpo ali esquartejado no chão , não tinha se alimentado por completo mais tava ótimo já.

No dia seguinte estava voltando a fome , era preciso se alimentar mais dava pra aguentar numa boa e prefere descansa...

Agora na madrugada seguinte ele procura seu pais e encontra a casa aonde eles moravam , usando cinza dos mortos cremados faz escurecer toda a casa
naquele instante caminhou em direção aos seus pais, alimentado pelo ódio que havia em seu coração em relação aos seus perversos pais a besta falou mais alto outra vez , e quando se deu conta havia matado sua fome com com carne humana , carne das pessoas que um dia o criaram, mas já era tarde demais para se arrepender do que havia feito, pois os corpos de seus, agora falecidos pais, estavam caídos aos seus pés e por mais incrível e desumano que possa parecer ele não se importou com o que havia acontecido a eles.

Agora com 25 anos e vida eterna encontra com sua senhora o conduziu para junto de seus novos companheiros, ela o explicou tudo sobre a sociedade dos amaldiçoados, sobre caim, sobre o sabá e a camarilla, explicou também que já o estava observando há alguns anos..Com o passar do tempo Vibe adorava cada vez mais a idéia de ser um vampiro imortal , desejava comer a deliciosa carne humana que era seu novo alimento.

Tudo estava perfeito, se não fosse o fato de sua senhora, viver dando lhe ordens e sempre lhe dizendo o que fazer.

Então cansado dessa escravidão, se rebelou contra ela e seus ensinamentos. E então em uma noite distinta quando os dois estavam sozinhos aproveitou a oportunidade e cravou uma estaca no peito de sua senhora quando estava distraída, assim a imobilizando e então lhe disse o seguinte:
- Você deve estar se perguntando o, por que de tudo isso, é simples. já estou farto dessa escravidão, o fato de você ter, me presenteado com a imortalidade, não lhe da o direito de fazer de mim sua marionete! o que? não, eu não irei diablerizá-la, jamais faria algo assim com você! Pois graças a você hoje sou o que sou! Você me fez renascer de novo! você criou um novo Vibe mas como eu disse isso não lhe da direito algum sobre mim! Bom chega de conversa, eu irei embora agora e você não virá atrás de mim, pois se for, não exitarei de novo em lhe destruir, saiba que você me ensinou muito bem, mais do que realmente deveria ter ensinado, mas agora é tarde para se lamentar não é mesmo? Bom deixe me ir agora, o aviso já foi dado!

Logo depois fugiu e permaneceu escondido por algum tempo, tempo suficiente para se juntar a um grupo de vampiros de Lendas Urbanas conhecidos como Vampiros Independentes. Então se passaram vinte anos desde que se tornou um vampiro Nagaraja.


Eduardo Teixeira

Baseado em fatos reais






(( O vampiro Vibe, essse personagem é nosso Vampiro Nagaraja)).

Baseado em fatos reais


Olho sempre a cima dos prédios, gosto de falar sobre a morte, ela me alimenta, eu carrego a morte comigo mas trago junto dela o renascimento. Uma vez ouvir dizer sobre o poder de jhor que é poder da morte, que é isso, que é aquilo e bla bla bla. Sabe o que eu fiz com o cara?...

Nada! Apenas escutei ele falar. Achou que eu tinha feito o que? Pois sim, dou-lhe toda minha fortuna se não ocorreu em sua mente que eu teria atacado ele, foi? Seu bosta! Acredita que nenhum vampiro é capaz de se controlar? Se não achou que eu tinha atacado ele, sinto em lhe dizer que não tenho um tustão se quer.

Se bem que depois, de uma conversa ele me paralisou, por pouco eu escapei. Ele queria me destruir, olhei para aquela figura, o achei incrível, era carregado por bondade mais era um assassino com super poderes. Fiz ele sangrar muito sem encostar nele, lhe arranquei a alma por alguns minutos, tempo suficiente de ter quebrado as pernas e um dos seus braços. Nossa eu li a mente dele, eu pude sentir toda a sua vida percorrer em minha mente. Parei! Poupei a vida dele, prefiro me alimentar de carne dos que já tem um caminho traçado, no inferno, esses sãos ótimos alimentos e me faz crescer e evoluir. Mas sempre há quebra de exceções. Ele me deu um rosário, era um rosário negro, gostei da cor, ele falou que tinha ganhado de um grande ancião eutanato e que nunca mas ia caçar vampiros. Não entendi nada.

Hoje pode ser que ninguém acredite em mim, acreditar em vampiros não é algo tão comum de se ver, muitos acham que eu sou louco, como a carne humana em vez de beber o sangue, mais minha refeição vem de seus própios atos. Independente do que os outros acham, eu tenho certeza do que aconteceu na quela noite do tal assassino.

Durmo numa boate que esta desativada, no lado da biblioteca, fiz um furo em cima do teto que funciona de porta, eu estava deitado, lembro de acordar assustado, deveria estar tendo algum pesadelo que não recordo agora qual era. Estava deitado de barriga para cima, com a mão e braços cruzados sobre o peito, como uma múmia, tava um odor muito forte na quele lugar que era do sangue e de carne podre, isso não vem ao caso, era a primeira vez que eu tinha um pesadelo em toda minha vida de vampiro. E a escuridão da sala me observava, tinha sol lá fora, mas eu já tinha arrumado a boate pra ficar totalmente escura por dentro. Nossa, escutava sussurros, já vem um breve pensamento que poderia ser algum tipo de alma perambulando aquele lugar, senti a presença de algo, mas no mesmo instante sumiu, o rosário começa a se mexer. Ouvia sussurros em minha mente agora. Esse rosário permite me comunicar com os mortos.

Isso já ocorreu a muito tempo, mas ainda carrego o rosário negro em meu peito, sou considerado louco quando conto minha história. Eu me chamo Vibe Timeles!

Um casal quase que perfeito - Vampiros



(( Vibe aqui é vampiro, só pra lembrar, ele é a peça principal das cronicas, mais cada cronica Vibe é um personagem diferente. ótima leitura, espero que gostem da cronica)).


Um casal quase que perfeito


O beco escuro da cidade, lá estava o vampiro nagaraja, são poucos de sua espécie, ele caminhava pelas sombras, por cima dos prédios, pelos becos escuros aonde se encontra ótimos alimentos e por fim segue para a praça da cidade. Os anos lhe faz esquecer antigos sofrimentos e velhas necessidades. Vibe tem ótima memória e vê sua época como mortal sem sentido. Como as necessidades, problemas, falhas e emoções mortais não estão mais presentes, o vampiro Vibe Timeless não tem dificuldade em compreender sua própria existência - um nagaraja-.

Chega à praça o vampiro nagaraja e permanece sentado em um banco, observa a praça atentamente. O celular toca. *trilinlinlinli-trilinlinlinlin-trilinlinlinlin-trilinlinlinlin-trilinlinlinlin-trilinlinlinlin-*. Cada toque parece um grito de uma corneta bíblica, anunciando o fim do mundo em sua cabeça, assim ignora e desliga o celular pos ninguém tinha o seu numero. O vampiro nagaraja gosta de fazer seus pulmões e estomago trabalhar sempre, mesmo não sendo necessário, tanto respira (tenta respira) pra sentir a brisa e o cheiro de humano no ar como seu estomago trabalha para digerir seu alimento A CARNE HUMANA CRUA. Olhava a praça e ele fita os olhos numa mulher que era conhecida, com certeza ela era uma vampira, ela tinha "quase" quebrado o braço de um de seus irmãos, assim as lembranças vem na mente do vampiro e ele segui até a mulher.

A vampira chamada de Tissy era do clã Lasombra. [Olhar de Vibe em relação a Tissy: estatura média, nem magra nem gorda, na medida certa. Seios fartos na medida também, e retaguarda também na medida certa. Cabelos branco e lisos que descem até a metade das costas e olhos verdes]. À vampira estava olhando Vibe que se aproxima dela e quando a uma aproximação dos dois rola um diálogo:

O Vampiro nagaraja:
- Nossa olha quem eu encontro aqui, a senhora quebra-braços. (Começa a rir por alguns segundos e para).

À Vampira lasombra:
- Você estava junto... Hummm então é um deles? ou melhor ou de nós ? fale onde vocês se refugiam. Me leve lá agora aonde é!

A vampira pega Vibe pelo braço e tenta puxá-lo para mostrar aonde é o refugio dos vampiros, Vibe sentindo-se ameaçado se transforma em sua forma nagaraja e rola uma breve e curta discussão e diálogos que levaram Vibe convidar a vampira sua nova "amiga" para conhecer aonde é seu lar. Uma boate desativada no lado da biblioteca. Os dois se entendem, e rola um acordo e algo positivo de ambas as partes. Para começarmos a entender as diferenças entre os dois vampiros, precisamos compreender algo muito importante: Seus clãs.

Os dois seguem para a boate aonde Vibe convive. Já estão lá. Entraram pela porta que é oculta, e se encontra no teto, um furo com uma tampa Abre-fecha. Dentro da boate - lar doce lar - se encontrava cadáveres em estado de decomposição e pedaços de carne morta por todos os lados. Eles não sentem o odor. Sorte deles porque é um cheiro muito forte. À vampira reclamava que suas roupas estavam rasgadas, e que precisava de roupas novas.

O vampiro começa a imaginar múltiplas idéias, e começa a falar coisas excitantes para vampira, ela tem certeza que é observada com os outros olhos. Pode senti-lo perto, ao eives de dar um beijo ela morde o vampiro machucando-o. O vampiro sente-se incomodado os dois rolam no chão... Detalhe: Sem roupa. Tanto quanto a nudez de estar ali tão exposta incomoda, pois o vampiro tinha rasgado sua única roupa. Será que eles realmente vão sentir prazer? Vibe se esforça no tato e na visão. Orgasmo? Impossível. Se esta bom? Olhando para o personagem digamos que esta sendo aproveitoso, companheirismo e uma forte ligação entre os dois esta acontecendo ali na quele momento. Por outro lado não há a respiração, o suor, tornando relação sexual extremamente frustrante. Ela percebe a angústia crescente, debatendo-se na tentativa de não se entregar por completa, assim continuava a relação até chegar ao fim.

O vampiro convida a vampira para viver junto dele e ela aceita por motivos que cabe a ela, deixa claro que nos outro dia eles iam se alimentar, o vampiro ia mostra a biblioteca a ela e tudo acaba bem. Vibe e Tissy, diferente das historias que costumamos ver aonde o final é - Felizes para sempre - aqui porem não é um final ainda, felizes não creio ver eles com esses sentimentos tão humanos, pra sempre talvez a vida eterna esta ai em mãos, que assim seja acabamos essa hitória assim: Eles ficaram malditamente felizes por enquanto.

THE END.


AUTOR: Eduardo Teixeira

À biblioteca do vampiro






A biblioteca da cidade, a velha e boa biblioteca o que seria de nos sem uma biblioteca na cidade? ( Biblioteca vem do grego βιβλιοϑήκη, composto de βιβλίον, "livro", e ϑήκη "depósito"), na definição tradicional do termo, é um espaço físico em que se guardam livros. Estantes espalhadas por várias partes
e a presença da biblioteca, sua imponência concreta, material, sempre impressiona os moradores.

O vampiro wandinho Blackheart entrava na biblioteca e se depara com um quarto móvel, alguns armários alguns livros raros em uma estante ,uma mesa no qual começa a revirar em busca de algo de valor , rapidamente foi olhando em todos os cantos da quele aposento , em cada armário , mais nada lhe chamava atenção , quando de repente se depara com um pequeno baú embaixo da cama no qual o pega em suas mãos. wandinho gospe acido no pequeno cadeado do baú o fazendo desmanchar , dentro vê um pequeno livro o mesmo parecia ser um diário , o folheando e lendo logo descobriu a quem pertencia o diário , o quarto aquelas coisas , e mais ia descobrindo a historia do ancião kyasid (conhecido como EduCini ) , seus feitos , sua geração , no qual desperta uma súbita vontade de mais poder , a geração do ancião era mais baixa.

wandinho ainda lendo o diário falava em tom moderado de voz diz:
- Velho idiota!!! Ta gaga já deixar essa preciosidade assim, não espera o que lhe aguarda.


Outros vampiros também estavam ao chegar na biblioteca subindo o elevador para o quarto andar , era EduCini McBride e sua esposa Drika Repine. Ao chegar em seu quarto EduCini e Drika se deparam com o intruso.

EduCini em tom serio diz:
- Ora, Não sabes que bisbilhotar nao faz bem para a saúde, ainda mas de pessoas que não gostam de ter suas vidas expostas?

Drika diz:
- Melhor colocar de volta onde estava isso se ainda quiser andar.

wandinho começa a canalizar novamente o fogo infernal pela suas mãos e diz:
- Ora estava mesmo pensando em você velho idiota quero seu sangue.

EduCin diz:
- Mas se queria meu sangue não era mais fácil pedir?... Desculpe amor essa luta é minha não quero que se machuque, ate porque você terá que escrever mais essa historia por mim.


Uma sangrenta batalha estava pra ocorrer , o vampiro EduCini usa sua habilidade > andarilho das trevas < pegando o vampiro bisbilhoteiro e andando pelas sombras descendo para o andar de baixo , sua esposa pega o elevador e desce para não perde de ver o combate. O vampiro ancião Educini leva wandinho para baixo deixando-o irritado , wandinho ameaça com palavras e a batalha continuava e de inicio não dava pra apostar em nenhum lado pois ambos são poderosos e agils. EduCini arremessa wandinho na parede mais o mesmo usa suas habilidades vampiricas e desvia da parede assim acontece um curto bate-papo entre os dois vampiros

wandinho sorrindo diz:
- Ta ficando velho nem força tem pra arremessar um vampiro novato como eu.

EduCini gargalha e diz:
- Mas mostra que é novato nas proprias piadinhas, nem conhece a própria raça , vampiros não envelhecem só acumulam poder, por isso queres o meu sangue criança da noite, mas vou mostrar como um vampiro deve agir.

A vampira que descia o elevador sente um baque muito forte e de repente o elevador para entre dois andares a impedindo de sair, aperta os botões desesperada querendo sair pra ajudar seu esposo. A vampira fica presa no elevador e gritando de raiva.

O vampiro ancião EduCini usa uma habilidade chamada > manipulador de marionetes < e manipula o outro vampiro faz ele se atingir sozinho e até mesmo bate com a cabeça na parede. wandinho tenta usar seus recursos mais falha e sai em direção a rua , e Drika ainda estava presa no elevador.

Drika ao sair do elevador esculta sua marido EduCini pedir para ela parar o vampiro que estava fugindo então Drika sai do elevador correndo e pula pela janela caindo bem na frente do vampiro.

Drika diz:
- Aonde pensa que vai? Pode ficar paradinho aí mesmo!

wandinho responde:
- Quer dizer que o velhote correu e mandou a mulher fazer o trabalho dele.

Drika diz:
- Aí que você se engana, acha que só porque sou mulher não consigo te derrubar?

wandinho e Drika ambos vampiros que eram pra ser aliados se enfrentam enquanto EduCini descia as escadas , descer inúmeros degraus era complicado para alguem que não tinha visão. A batalha estava ocorrendo e usam diversas disciplinas e por fim wandinho da a volta por cima e consegue usar sua disciplina fascínio e Drika fica fascinada por wandinho , ela fica olhando pra ele sentindo uma enorme confiança. Enquanto Drika ficava fascinada seu marido chega ao local e começa a luta novamente a lutava agora era entre Educíni e wandinho inúmeros golpes, chutes , socos , pulos e gritos ... Eles lutavam bravamente. Parecia não ter fim.

Como todo começo tem um fim a luta estava acabada e por fim EduCini e sua esposa tem uma vitória de batalha digna ao ver wandinho no chão inconsciente, acabado , sem forças. O ancião EduCini se aproximava do corpo estendido ao chão segura a cabeça do vampiro e bate fortemente contra o chão acabando de vez com ele , em seguida perfura com sua unha o pescoço de Wandinho deixando todo sangue de seu vitae se extinguir fazendo o vampiro morrer lentamente. Enquanto isso Educini tateia no corpo vampiro caído pegando sua agenda de volta.

EduCini ao ver seu oponente destruído diz:
- Meus segredos são apenas meus, ninguém que ler minhas anotações pode ficar vivo... Obrigado pela ajuda meu amor aposto que se divertiu aniquilando mais um verme que quer disputar poder com um ancião.

EduCini e Drika voltaram para biblioteca , arrumar o que estava bagunçado devido o combate mortal que havia acontecido. E fica registrado em seu diário mais uma pagina de uma historia, a historia dos segredos mortais do ancião.



Cronica By: Eduardo Teixeira

O anjo

((Nessa história nosso ator Vibe faz o papel de um anjo. Boa leitura)).


"Pensava que ia viver para sempre..."




"Pensava que ia viver para sempre..."



- Esse homem quando era mortal salvei sua vida muitas vezes. Não sei por que ele.

- Bom ele é o escolhido sim Rafael. Vamos seguir as ordens de nossos superiores.



O anjo Vibe se levantava meio que com sono ao mesmo tempo olhando bem para quelas figuras que estavam ali em sua frente. Ele sem saber tinha sido recrutado para o Exército Divino. Vibe se levantava calmamente diz:

- O vem cá! Que porra é essa? Um teatro?

Um dos anjos se aproximava de Vibe, o mortal que era escolhido por ordens superiores. Vibe que nada educado, pega a mão do anjo que estava já em seu ombro e o mesmo quebra os dedos no movimento rapido e brusco, um golpe estilo quebra-mão.

Vibe diz:
- Mais que merda o que ta havendo aqui?


O anjo nada se intimida e começa a rir ai dizer:
- É, não sei como você pode ser o escolhido.

O outro anjo que estava se aproxima também e começa a explicar a situação, delicadamente para que Vibe entenda:

- Bom, eu me chamo Rafael e esse é Tales, a gente esta a sua disposição. Bom você esta no Éden, você foi escolhido por ordem mas que superiores para liderar uma tropa de anjos a defender a Cidade de Ouro. Sei que você pode até estar achando bobagem, mais meu amigo pode acreditar não é bobagem. A capacidade de ser um anjo esta dentro da sua alma.

Vibe interrompe dizendo:
- Se você fala mas um ai, eu faço sua língua parar no seu ânus arrancando sua cabeça.

O anjo Rafael diz:
- Calma não sou seu inimigo, na verdade estou curioso, não entendendo o porque você é o escolhido. Olhe você esta pra liderar uma tropa de anjos, lá e baixo esta cheio de vampiros, demônios e outras criaturas... Você é prova disto, você foi treinado por Filipe, um anjo caído, sei que ele te ensinou muito bem, é ele realmente era um grande líder.

Vibe interrompe outra vez:
- Como é que é? Filipe era um anjo, quer dizer é um anjo?

Rafael fala se aproximando mais:
- Sim. Ele era, mais foi corropido ao seguir seu caminho e viver como um mortal. Ele foi pego pelos demônios que frequentam a cidade. E você... Bom eles simplesmente arrancaram sua cabeça e colocaram sua língua bem lá na quele lugar. HAhaHAhaHAhaHA. Isso que dá ameaçar quem não conhece. Bom, você vai liderar uma tropa de anjos, vai fazer isso por você, por nos e pelo seu amigo Filipe que não esta morto ele esta apenas preso de alguma maneira.
Você é um imortal. Seu coração bate, mas você não precisa dele. Você respira, mas apenas porquê quer. Não podem sufocar você, não podem matá-lo com tiros e mesmo se arrancarem seu coração você ainda estará vivo. Saiba também que jamais você irá envelhecer. Eu tenho pouco mais de um século de existência Celestial, mas conheço alguns que vivem por milênios... Nossa aparência muda levemente ao longo dos séculos, conforme amadurecemos em mente e espírito, mas isto é só a maneira como seu corpo se adapta, e não um envelhecimento. O que mantém nossos corpos vivos é nossa alma. Enquanto corpo e alma estiverem juntos, você será imortal. E só há uma maneira de separá-los: destruição do corpo. Mas mesmo assim, sua alma ainda estará viva, e você mais uma vez renascerá no Éden, em um novo corpo, idêntico ao anterior. Só há uma maneira de matarem você... e chama-se “Obliteração.”
Acontece quando destroem seu corpo e então devoram sua alma. Falarei mais sobre isso um outro dia... Onde parei? Ah, sim... Imortalidade é apenas o começo. Sente uma energia dentro de você? É como a sensação de estar vivo, mas é mais do que isso. É uma força. Você pode canalizá-la para muitas coisas. Já ouviu falar em anjos com grandes poderes? Com força imensa, poderes sobre a natureza e muito mais? É dessa energia que vem tudo isso. Você só precisa aprender a usá-la. Outra capacidade que você possui , graças a essa energia, é a de se curar. Usando sua energia, pode regenerar ferimentos gravíssimos em poucos segundos. Mas talvez como efeito colateral de seu estado Celestial, você é estéril... eu havia dito que Celestiais são sexualmente ativos, e isto é verdade. Mas você não pode procriar, nem com outros Celestiais, nem com mortais, ou com quaisquer outras criaturas. A única maneira para surgirem Celestiais é a partir das almas dos mortos merecedores. Não temos maneira de criar novos
por nós mesmos... Como pode notar, seu corpo é uma maravilha sobrenatural, e você não pode morrer... E é aí que começam as maravilhas e o perigo. Você tem poder, e pode tornar o mundo melhor usando-o. Por outro lado, poder corrompe. Não deixe que ele suba à sua cabeça, ou você vai se perder, cair em tentação.

Vibe já começando a acreditar, pergunta:
- Porque eu?

Rafael responde:
- Essa é uma pergunta que eu também quero saber.

Tales entra na conversa:
- Eu também queria saber. Um mortal que matou mais gente do que meus dedos da mão e do pé podem contar.

Vibe diz:
- Olha, todas as pessoas que eu matei foi por justa calza, estavam possuídas e consegui matar vampiros. Isso não conta né? Se bem que matei aquele ladrãzinho que queria me roubar. Safado #@%$#... Ata também...

Tales nervoso diz:
- Chega, chega, chega. Eu não quero saber o que você fez ou deixou de fazer. Vem conosco vamos te mostrar o Éden e vamos te apresenta sua tropa, somos arcanjos menores, e vamos apresenta ao nosso superior e começa a se focar na nossa meta.


60 Dias se passaram...


Na cidade....


O anjo Vibe:
- Sabe alguma coisa sobre os demônios:

Um vampiro, estava sem os dois braços e sem as duas pernas, e com uma escopeta mirada bem na cabeça. O vampiro responde:
- Não sei não senhor, mais posso te ajudar.

Vibe diz:
- Me leva aonde tem mais vampiros então!

Vampiro fala choramingando:
- Eu não sei, eu vivo sozinho.

Vibe fala rindo:
- Tavo te olhando faz mais ou menos umas duas horas, vi seus amigos... Bom já que você não vai me ajudar... Cara isso é bala explosiva...

O vampiro grita:
- Vai para o infernooOooooOoo!!!

Vibe após aperta o gatilho e ver o fim do vampiro diz:
- Se falasse céu até que pensaria. Morra FDP!



Cronica By: Eduardo Teixeira

Chegando à Cidade de Ouro - Garou

((Aqui Vibe é um garou da tribo senhores das sombras, nascido na lua cheia e seguidor do Grande Avô. Vibe após cinco anos de treinos volta na ativa de novo e agora tudo indica uma cidade a ele. Boa leitura RPGistas)).




Chegando à Cidade de Ouro




Um senhor das sombras

Eu tinha acabado de matar um humano... Nunca vi um humano tão forte... To dando muita risada, poderia ter deixado ele viver por ser tão diferente... Ele, eu já sei que não preciso me preocupar arranquei sua cabeça... Acabo de escrever uma carta sobre o ocorrido, uma carta para deixar autenticado para os espíritos.


Faz dois meses apenas que estou de volta, minha jornada foi longa e cheio de obstáculos uma jornada de treinos e com apoio do avô trovão e de meus ancestrais que falam comigo. Não sabia em que cidade eu estava. Meus cabelos negros estavam na hora de cortalos, assim caminhando pelas ruas da cidade, meus olhos caninos estavam semi-abertos, olhando tediosamente tudo em minha volta. Fiz pra mim um “abrigo secreto”. Bom tinha encontrado o esconderijo num bosque perto da cidade, ele me parecia não ter dono. O esconderijo era uma minúscula cabana feita de tábuas velhas e escuras, com muitos galhos e folhas para escondê-la. A cabana tinha dois metros quadrados mais ou menos, uma falha em uma das paredes servia de porta e havia algumas goteiras, fora isso ela não tinha aberturas.

Agora, não era mais secreto.


Tinha acabado de escutar um barulho, questão de segundos sinto a cabana cair, rapidamente eu me transformei, não temia nada, todos os seres terrestres estão abaixo de mim. Pêra ai. O que não tinha lógica era um Garou me atacando. O que eu fiz??? Eu me perguntei muitas vezes essa mesma pergunta. O delicia, o prato da noite vai ser Garou assado, seja o que for, ou é eu ou é ele. Ele trazia consigo a cabeça do humano que eu tinha matado, não muito longe daqui. À batalha foi sem duvidas sangrenta, matei, e matei com prazer, ele estava cometendo um erro a me atacar. Eu estava muito furioso e mataria tudo o estivesse na minha frente na quele momento. Meus graves ferimentos estavam regenerando aos poucos. Escuto barulho de outro vindo. Como me acharam??? Que pergunta mais besta, qual o Garou não vai encontrar sua presa???

Eu fugi!!! Mas antes de fugir soquei uma carta no morto que estava ali no chão!!!!






À carta


******* ******* ******** ********* *********** ********

Já fazia algum tempo que eu sentia estar sendo seguido mais era realmente estranho. Eu estava caminhando num bosque de arvores jovens, acabo de voltar apos cinco anos de treinos, me transformei na minha forma crinos. Estava farejando uma mancha de sangue, estranho, sentia o cheiro de alguém por perto e estava no meio de umas plantas grande, derrepente começo a sentir mais o cheiro do humano e escuto sua respiração ao caminhar por perto dele.

Escapei de dois tiros.

Apenas ergui minha cabeça e realizei um uivo que ecoou por todo o local, um uivo sem duvidas muito alto, alto mesmo. O humano se levantou e correu muito, ele foi parar num celeiro, conseguiu trancar a porta. Eu caminhava tranquilamente.

Abri com apenas um golpe a porta do celeiro.

Uma cede por sangue, uma fúria que me fazia destruir o celeiro.

Fiquei surpreso quando uns pedaços de caixas de papeloes caem perto de mim, ainda, mas surpreso eu fiquei quando o fogo se iniciou, as chamas se espalharam rapidamente. Escapei pela janela. Por pouco não era meu fim. Com um longo pulo, cai em cima dele. Ele me enfia uma faca de prata que pega de raspão e resmungava que não ia acabar por ai. Joguei pra longe a faca dele, lavei seu rosto com a saliva que sai da minha boca e com uma mordida no seu pescoço arranco sua cabeça... Mal cheguei e já to sendo caçado. Um a menos pra incomodar.

Bom escrevo essa carta, para deixar autenticado meu ato.

Vibe Timeless.

******* ******* ******** ********* *********** ********

À carta foi encontrada:

- Onde foi mesmo que você encontrou essa carta?

- Senhor, num local impróprio, senhor.

- Que local, homem? Diga. Que merda. Fala logo.

- Tava enfiado no ânus de nosso irmão senhor.

- ...





À caminho de Lendas Urbanas


Sou filho da noite...

Observo pelas sombras...

Luto pelas sombras...

Sou incansável...

Sou impiedoso...

Sou intocável...

Sou guerreiro...

Não tenho medo...

Não tenho dó...

Olhe para sombras e me Vera...

Curvan-se...

Essa é a minha tribo...

Os senhores das sombras...




Ah, os dias passam rapidamente. Acho que eram três horas ou algo próximo. Preparei o revolver com seis balas, as outras deixei no bolso da calça, ainda as procurei, apenas para acalmar os animos, todas as seis estavam ali esperando para serem usadas. Sei que não preciso disso mas gosto desses brinquedinhos, na minha forma humana gosto de aperta o gatilho. Estou numa cidade pequena, achei o local aonde um vampiro se esconde... Grande esconde-esconde pena ele não saber brincar.

Cheguei no local, estava observando dois homens na porta. Não tentaram força-la, eles usaram um meio mais sutil, a arte de destrancar uma porta sem ter as chaves. Isso parece estar divertido. Faltou uma pipoquinha aqui não???. Falando nisso acaba de me dar uma fome. Bom continuando, os caçadores estavam preparados, à porta e às janelas estava abertas, o sol ajudava eles, uma granada de fumaça acompanhei ela rolar e assim eles entraram. Um disparo, dois, três e quatro... Um deles voando pra fora e o outro gritando dentro da casa. Me transformei na minha forma Crinos e corri pra lá...

Coloquei as mãos no seu pescoço e cintura, depois o arremessei o vampiro na parede sólida em pleno vôo. Ergui-o pelo pescoço, fiz sinal para os caçadores sair, e eles ficaram olhando um pela janela e outro pela porta. Caminhei até o maldito e ergui-o pelo pescoço, olhei bem para ele com desprezo e mostrando que era seu fim. Arremessei e desta vez na direção da porta. Ele queimou à mão. Ainda teve sorte, pois poderia ter ido parar lá fora.

Ele escapava de mim, realmente era bem rápido, mais com a minha mão fechada faço atravessar toda a sala com tamanha foi a fúria de um soco. Aproveitei vendo ele caído e mordi seu ombro deixando seu braço pendurado, o vampiro enfiou os dedos em meus olhos nossa não deu pra aguentar assim recuei. Ele pegou uma arma numa gaveta, mesmo assim mordi sua perna arrancado-a do joelho pra baixo. Ele disparou tiros na minha direção, balas de prata um tiro, dois tiro e a mira estava em mim, desta vez eu corri um tiro pegou no meu braço e outro nas minhas costas corri para fora da casa não esperava encarar a prata assim dessa maneira. Então uivei alto e fiz meu som ecoar por toda a área. Os caçadores terminaram o serviço, e me sentei no chão os dois caçadores caminharam até a mim e apenas soltaram um papel e me falaram o nome de um lugar " Cidade de Ouro"... Já tinha escutado esse nome, e foi pela boca de meus antigos irmãos.

Fui para a umbra, sou um senhor das sombras nascido na lua cheia ...

Eu sentia um vento forte soprando ainda estava na minha forma crinos, meus olhos buscavam no firmamento sinais dos mensageiros do Avô Trovão, caso não aparecessem eu voltaria para o mundo físico. O tempo passa e eu ali à descançar. Em meio a escuridão da noite umbral, percebi a satisfação no brilho dos olhos de um corvo que me observava, os corvos eram os mensageiros do avô trovão, já tinha muitos ali e cada vez mais corvos sobrevoavam os céus, mas apenas um parou e falou comigo, o mesmo que me observava. Eu retribui o olhar com uma reverência, e assim dirigia a palavra ao espírito, na língua falada por eles:

- Vejo que está satisfeito com minhas ações espírito, perceba que não sou um tolo, treinei muito na umbra e em locais que o avô trovão me guiou, sobrevivi e sigo assim sobrevivendo e seguindo meu destino. Me traz uma mensagem do Grande Totem?


O Espírito apenas diz:

- O Grande Avô me mandou acompanha-lo em sua jornada à Cidade de Ouro.
Não tenho todas as respostas, posso ler sua mente então antes que me faça essa pergunta tenho que te dizer... Juntos iremos descobrir. Agora, siga seu caminho vou te abrir um portal, siga, se veremos em breve. E não se esqueça estou com você.




Assim Vibe o Garou chega na Cidade de Ouro.


Que Gaia esteja conosco!!!



Cronica By: Eduardo Teixeira

quarta-feira, 19 de maio de 2010

A ultima caçada





((Aqui Vibe é um herói em tempos reais, um ex-padre que teve sua fé perdida e tenta retomá-la de volta... O conto acontece em Lendas Urbanas. Siga esse guerreiro numa sangrenta batalha até sua morte - Lembrando que Lendas Urbanas é uma cidade e a Cidade de Ouro é outra - Boa leitura)).


A ultima caçada


"Tudo o que acontece em Lendas Urbanas, em Lendas Urbanas é esquecido..."



Lenda urbana não é domesticada pelos humanos e nem por nenhuma criatura a batalha entre criaturas rivais esta de pé. As pessoas de Lendas Urbanas são reclusivos, vivendo enclausurados entre muitos prédios; A noite e o dia , pode-se ouvir as almas vagando pelas ruas. Você não escuta?. Nos tempos atuais, inumeráveis e indesejáveis forasteiros tentam cruzar os territórios de Lendas Urbanas , e são recebidos com ataques mortais , bom nem sempre nem sempre ... Em resumo, a cidade é conhecida entre os forasteiros e conterrâneos como uma cidade sombria.

Tudo começa em frente a biblioteca aonde EduCini McBride e sua esposa Drika Repine estão sentados e do outro lado da cidade um agente da The Six dirigia seu conversível vermelho que cortava das ruas isoladas da cidade o belo motorista , estava a procura de pistas estaciona o carro perto da praça e sai a caminhar pela cidade após muita caminhada ele chega na biblioteca da cidade e depara com um conhecido do qual já sabia que era um vampiro sua arma estava preparada , seu punhal também tudo seguro assim caminha até o vampiro gospe no chão e solta a o cigarro pisando e pagando-o.

O vampiro EduCini se comunica com sua esposa ele sente a presença de Vibe ela sorrindo concorda. Sim era ele Vibe Timeless !!!


O agente se aproxima do vampiro com passos curtos tira a arma e ao chegar perto do vampiro coloca a sua magnum 44 negra no rosto do vampiro e diz:
- Você acha que eu tenho medo de você Educini ?

Vibe olha para a mulher dele e continua a falar:
- não olha muito você pode perde sua cabeça , balas explosivas são boas contra vampiros.

EduCini McBride abre um sorriso e diz:
- Ora ora meu amigo Vibe, eu sou cego, se quer mostrar seu brinquedinho novo é melhor entrega em minhas mãos pois nao vejo nada , o que tem ai uma garrafa de bebida, sua eterna companheira?

Drika Repine diz:
- Que coragem, nos desafiar assim... Melhor pensar bem no que vai fazer, sua vida é muito frágil!

Vibe diz:
- seu filho da puta se eu bebo é porque criaturas como vocês me fizeram de mim ser o que eu sou , olha pra você Educini você bebe sangue , sangue de humanos inocentes , eu não sei o que tem mais vejo uma bondade em você mais isso não siguinifica nada vai pro inferno filho da puta.


Apos as melancólicas palavras Vibe puxa o gatilho de sua arma tentando acerta um tiro na cabeça do vampiro , a mira de Vibe é certeira e o vampiro cai pra traz. A vampira tenta usar uma disciplina sugestão subliminar mais falha. A batalha tinha começado e ambos não estão pra brincadeira.

Vibe fala com seu pai que lhe protege nos reinos dos céus “ o pai me ilumine e me proteja que a força esteja comigo e que o inimigo seja derrotado , sei que não sou digno do julgamento de cristo mais mandarei ele pro inferno nem que seje meu ultimo ato de fé aqui na terra , já tinha sonhado com isso “ Vibe da mais um tiro no vampiro sem mira sem nada apenas aperta o gatilho.

EduCini escuta mais um disparo depois das palavras religiosas de Vibe , mas nada o atinge e com o barulho da arma ele pode saber aonde Vibe estava então tenta acerta um golpe no humano mais Vibe desvia do golpe mais é acertado por um ácido que Drika gospe em sua mão enquanto a arma de Vibe cai no chão ele grita de dor , Vibe tira o punhal e ataca com sua ótima mira acertando a Vampira.

EduCini acerta um soco em Vibe e Drika arranca o punhal do corpo , Vibe tenta acerta um chute no vampiro mais erra e é derrubado o vampiro pega a cabeça do humano e batida contra o chão.

A luta entre os três é extremamente desvantajosa, pois os vampiros estavam em dois se tornam mais poderoso e ágil que Vibe.

EduCini focando sua mente em vibe usa sua disciplina FLAGELO PESSOAL (Auspicios) fazendo que o corpo de Vibe comece a criar feridas espontâneas e sangras , com uma enorme dor. Vibe olha para um braço , olha para o outro se desespera ao ver as feridas pelo corpo a dor e agonia era grande a força da perícia do vampiro surpreende Vibe e mais ainda tem chance pula em direção a sua arma e a tem com sigo a oração persiste em sua mente palavras sagradas “Per signum X crucis, de X inimicis nostris libera-nos Deus X noster. In nonime Patris X et Fílii X et Spitiui Sancto X.Amen. “


EduCini em estado de raiva nao quer saber de perdao e diz:
- É tão bom sentir o cheiro do seu sangue fraco rolando no ar, vou alimentar minha coruja com sua carne e seu sangue , morra logo.

Vibe diz:
- Eu não tenho medo de morrer não.


A luta continuava , era uma batalha sangraste que não parecia ter fim de um lado um humano não era um mero humano e sim um verdadeiro guerreiro e do outro lado dois Vampiros anciões , temidos e poderosos. A luta continuava...

O agente Vibe Timeless observa seu pai descendo dos céus para terra , era sim era pai de Vibe que estava ali pertinho olhando o que estava acontecendo , talvez tinha vindo buscar Vibe.


EduCini ve que mesmo com seu corpo estraçalhado o humano ainda insiste em lutar , decide por fim em tudo isso e diz:
- Você é um excelente guerreiro humano, com certeza em sua trajetória caçando vampiros e outros seres você se destacaria, porem sua ambição e audácia de me atacar será recompensado com sua vida, sugarei sua vitae, morra!


O vampiro finaliza a luta deixando Vibe inconsciente e quase morto e assim sugando o sangue de Vibe ...

Cada gota, cada litro de sangue era a alma de Vibe se esvaindo da terra , talvez era esse mesmo seu destino , talvez o vampiro tinha razão Vibe foi ambicioso mais ele só queria proteger os humanos , Vibe realmente era um anjo que estava na terra mais ele não sabia , ele já tinha sido morto antes mais teve uma missão e sua missão foi cumprida. É protetor dos humanos e ditador das palavras de cristo que seu nome fiquei pelas bocas dos humanos e criaturas... Descanse em paz Vibe Timeless.


CRONICA BY: Eduardo Teixeira